Zema entrega viaturas e é cobrado pelo prefeito

Gleidson Azevedo reclamou da burocracia e acredita que há ‘funcionários da esquerda’ travando o processo do Hospital Regional

Da Redação  

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), participou ontem da solenidade de entrega de viaturas para Polícia Militar (PM) e recebeu inúmeras cobranças, inclusive do prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo (PSC), sobre o Hospital Regional. Em discurso áspero, Gleidson cobrou atitude de Zema em relação à unidade de saúde e disse acreditar que dentro da equipe do governador tem “funcionários da esquerda” travando a liberação e sobrou até para o candidato a presidente da república: “Lula na cadeia”. 

Romeu Zema explicou sobre os inúmeros entraves para a retomada das obras do Hospital Regional de Divinópolis. 

— Estamos enfrentando questões burocráticas. É muito mais difícil retomar uma obra do que iniciar uma obra do zero. O prefeito está aqui acompanhando sabe que teve que passar pela Câmara dos Vereadores e teve que ser sancionada pelo Executivo. Depende de muita análise e pareceres jurídicos. Estamos fazendo o que é possível. Mas o importante é que o dinheiro está numa conta corrente e esse hospital está garantido. Até o final do ano a situação será solucionada — garantiu o governador, afirmando que precisa fazer uma prestação de contas adequada desde o começo da obra para não ter mais nenhum entrave.

Em discurso na solenidade, o prefeito começou relembrando uma intervenção constrangedora do irmão deputado estadual Cleitinho Azevedo, em 2017, também numa solenidade semelhante de entrega de viaturas no município pelo então governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. 

— Pimentel, sentado onde está o Romeu Zema, disse que o Estado estava quebrado. Meu irmão vira para ele e fala: quebrou por causa de vocês, o Estado de Minas estava quebrado por conta do PT, dessa turma de esquerda — afirmou. 

A interrupção na fala do governador provocada por Cleitinho gerou indignação e uma nota de repúdio da PM ao vereador na época. A Polícia Militar classificou a atitude do então vereador com um episódio desrespeitoso. Cleitinho pediu desculpas à PM e falou que Pimentel não o representava.

No meio do discurso de Gleidson na manhã de ontem, também houve uma interrupção. Desta vez uma pessoa gritou: “PT nunca mais”. Gleidson respondeu: “Lula na cadeia, né? Devia nem ter saído”, afirmou.  

 

Cobrança 

Gleidson continuou o discurso e subiu o tom contra Zema e cobrou atitude sobre as obras do Hospital Regional de Divinópolis. 

— Acho que o senhor veio aqui quatro a cinco vezes e infelizmente não resolveu nada. Não fico em cima do muro, se tiver que falar eu falo. Colocamos você como governador porque a gente sabe da eficiência para fazer gestão. Quando vamos falar de hospital e de vidas temos que fazer o que for. Eu estou vendo uma burocracia tremenda do Estado, não pelo senhor, mas pela equipe técnica e às vezes pode até ter servidor de esquerda travando esse hospital — disse.

O Hospital Regional tem 85% das obras concluídas. A construção deverá ser finalizada com parte da verba indenizatória do acordo com a Vale, em decorrência da tragédia em Brumadinho. As obras, previstas para serem concluídas em 2012, estão paradas há quase oito anos por falta de recursos financeiros.

No fim do discurso, o prefeito ainda cobrou a liberação de emendas do seu irmão para a região, voos comerciais, licitações de infraestrutura para o desenvolvimento do Complexo da Ferradura e também construção de posto de saúde. 

 

Viaturas 

No evento, Romeu Zema entregou veículos para a Polícia Militar de Minas Gerais. Foram 29 novas viaturas para reforçar o policiamento e nove para atender os Colégios Tiradentes de Divinópolis, Bom Despacho e Lavras. No total, serão contemplados 21 municípios da 7ª Região da Polícia Militar (RPM), sediada em Divinópolis, e da RPM com sede em Lavras. Foi feito um investimento de R$ 3,5 milhões com recursos do Estado e emendas parlamentares para a aquisição dos veículos entregues.

Durante o evento, também foi anunciada a implantação do Programa de Inclusão de Egressos do Sistema Prisional (PrEsp) em Divinópolis. O objetivo do programa é promover a inclusão social de homens e mulheres que deixaram o sistema prisional, oferecendo capacitações profissionais para que eles tenham uma fonte de renda após o retorno para a sociedade. Também há ações com os familiares visando ao fortalecimento dos vínculos de apoio.

 

Comentários
×