Volta a preocupação

Volta a preocupação

Cerca de 15 mil divinopolitanos estão com a segunda dose das vacinas contra covid-19 em atraso. A informação foi divulgada ontem pela Secretaria de Saúde (Semusa), em tom de alerta. O tema também ecoou na Câmara. O presidente da Comissão de Saúde, Zé Braz (PV), reforçou o pedido da pasta para que os moradores busquem completar seu quadro vacinal: “É um tema que temos que nos preocupar." Segundo ele, apesar do avanço da imunização e da melhora dos indicadores, como a queda nas internações, o surgimento da nova variante, ômicron, as medidas de prevenção devem permanecer. “Não significa que a covid-19 acabou”, alertou Braz. 

Promessa sem fim

A saúde também voltou a ser alvo de críticas durante a 76ª Reunião Ordinária, ontem, na Câmara. Ana Paula do Quintino (PSC), por exemplo, destacou a importância de o Estado concluir o Hospital Regional em Divinópolis. O objetivo, defende, é desafogar os hospitais da cidade, em especial a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Roberto: “UPA não é lugar de ninguém ficar internado. Não é hospital”, reforçou. Zé Braz lamentou a situação, relatando que a situação tem piorado a cada dia. “É preocupante”, destacou. É fato. Com a desmobilização de leitos exclusivos para covid-19, os leitos “gerais” continuam com alta ocupação. E o Hospital Regional seria de suma importância para aliviar a pressão, não apenas na cidade, como na região. 2021 começou com a esperança de as obras finalmente avançaram. O ano chega ao fim com apenas a esperança. Aparentemente, os entraves burocráticos continuam e a obra deve avançar apenas no próximo ano que, curiosamente, é eleitoral.

Carnaval ameaçado?

Parece que estamos sempre a caminhar na linha tênue entre voltar à normalidade ou à estaca zero. O Carnaval, no primeiro semestre do próximo ano, parecia quase uma certeza, agora, com a identificação de uma nova variante, ainda relativamente desconhecida, a festividade se torna uma incógnita. A descoberta da nova variante expôs a desigualdade na distribuição de vacinas, deixando algumas regiões “supercobertas” enquanto outras carecem até mesmo da 1ª dose. A vulnerabilidade deixa o vírus “solto” ao desenvolvimento de novas mutações. A variante ômicron voltou a gerar discussões no mundo todo, inclusive no Brasil, sobre o retorno de novas restrições contra a disseminação do vírus. Em Divinópolis, o prefeito Gleidson Azevedo (PSC) já havia declarado: a cidade não terá Carnaval. Os blocos alegam que não foram consultados antes da decisão. No entanto, organizadores podem realizar a festa, desde que comuniquem a Vigilância Sanitária. O cenário até lá é incerto, podendo ser melhor ou pior que o atual. Parte depende de nós, em procurar a primeira, a segunda e a dose de reforço. Sem o esforço coletivo, a normalidade segue ameaçada. 

TOP

Há mais de um ano e meio, empresários buscam se reinventar para manter seu negócio de portas abertas. Nesta sexta, as marcas mais lembradas pelos divinopolitanos serão agraciadas com o troféu do Top of Mind em uma noite mais do que especial. A dois dias da festa, o Agora trabalha para ajustar os últimos detalhes da premiação, que coroa a luta dos empreendedores para sobreviverem diante das adversidades. Além do certificado, agora eles recebem o troféu, que materializa o reconhecimento e o prestígio na cidade. 

 

Comentários
×