Vereador propõe uso obrigatório do detector de metais durante a revista de eventos

Projeto apresentado por Roger Viegas chega à Câmara após repercussão da morte de segurança; agressor pode ter usado soco-inglês para ferir a vítima

 

Bruno Bueno

A morte do segurança Edson Carlos Ribeiro, 42, repercutiu na 59ª Reunião Ordinária da Câmara Municipal, ocorrida na tarde desta terça-feira. A vítima morreu no último sábado, 25, após ser agredida enquanto trabalhava em um evento no Parque de exposições. Testemunhas no local afirmam que o segurança foi atingido por um soco-inglês na traqueia. A informação ainda não foi confirmada pela Polícia Civil. O principal suspeito da agressão, Pedro Lacerda, 32, nega o crime, mas está detido no Presídio Floramar.

Para impedir novas ocorrências semelhantes, o vereador Roger Viegas (Republicanos) apresentou um projeto de lei (CM 188/2021) que obriga eventos públicos de Divinópolis a usarem detectores de metais nas entradas. 

— O que aconteceu com esse trabalhador poderia ter acontecido com qualquer um de nós, independente de cor ou classe social. (...) Foi pensando na classe dos seguranças que eu protocolei ontem nesta Casa um projeto que obriga eventos públicos a usarem detectores de metais durante a revista — informou o parlamentar durante seu pronunciamento na tribuna livre.

Reflexão

O parlamentar também disse que a morte de Edson deixa uma reflexão para Divinópolis. Ele ressaltou que, desde o ocorrido, recebeu inúmeras cobranças para que algo fosse feito.

—  É um momento de auto reflexão. Será que os jovens estão preparados para o retorno dos eventos? Deixo minhas condolências à família do Edson. Não o conhecia, mas eu senti essa dor. Acordei de madrugada e já recebi mensagens cobrando ações do poder público, inclusive de pessoas ligadas à classe dos seguranças — afirmou.

Roger Viegas afirmou que, mesmo com a gravidade do ocorrido, os eventos não podem ser impactados negativamente. Para o vereador, o episódio deve se tornar um exemplo para que não aconteça novamente.

— Os eventos não podem ser impactados negativamente pelo ocorrido. É uma mancha que fica na história da cidade e no setor. O Edson jamais será esquecido. Que isso seja um exemplo. Nós, como legislativo, temos que trabalhar para fazer a diferença na vida das pessoas. (...) Zelar pela segurança é fundamental — ressaltou.

Por fim, o vereador destacou que em outros eventos da cidade já foram registrados casos de pessoas com armas, canivetes e outros instrumentos que colocam em risco a vida das pessoas.

— Que seja rígido e severo. Com todo respeito às pessoas terceirizadas que trabalham nos eventos, é necessário que elas também passem pela revista para que não haja precedentes. Todos questionaram como o agressor passou ou não (ainda não foi provado) com a arma. Em outros eventos já vimos pessoas com armas, canivetes e outros instrumentos — finalizou.

Justificativa

Na apresentação do projeto, o vereador justificou a proposta dizendo que toda e qualquer tipo de ferramenta que ajude a proteger o cidadão de bem é bem-vinda.

— A presente proposição tem por finalidade zelar pela segurança e proteção de produtores, colaboradores e frequentadores de eventos na cidade de Divinópolis. Tendo em vista os recentes e lamentáveis acontecimentos, o presente vereador conclui que as ferramentas que auxiliam na proteção do cidadão de bem devem ser ampliadas — afirma.

Ele ressaltou que as ocorrências criminosas em festas têm se tornado cada vez mais frequentes em Divinópolis.

— Divinópolis é berço e referência na produção de eventos culturais, esportivos e de entretenimento, nossas festas se destacam no estado e país afora, porém, fatos lamentáveis vêm sendo infelizmente cada vez mais corriqueiros — disse.

Por fim, Roger Viegas disse que o investimento é justo e essencial para preservar a segurança de quem trabalha e frequenta os eventos.

— Portanto, a proposta que vem adicionar ainda mais segurança para os produtores, colaboradores e frequentadores se faz urgente e necessária. Um investimento justo, com objetivo de preservar a segurança, a integridade de todos os envolvidos e principalmente vidas e famílias que vivem da renda provinda da organização de eventos — ressalta.

Multa

Se a lei for aprovada e sancionada, quem descumpri-la  receberá uma multa de 30 Unidade Padrão Fiscal do Município de Divinópolis (UPFMD). O valor total do pagamento será de R$ 4.166,55. Em caso de reincidência, os produtores não terão nova permissão para realizar festas no prazo de 180 dias.

A utilização dos detectores, fixos ou móveis, também será obrigatória em outros eventos que contem com acesso ao público, como estádios, ginásios esportivos, clubes, boates e similares. A responsabilidade pela aplicação será da entidade ou empresa promotora. A pessoa que for flagrada com o instrumento ilegal será entregue à autoridade policial presente no evento ou a delegacia.

Similar

O vereador Rodyson do Zé Milton (PV) também apresentou um projeto (CM nº 187/2021) similar ao de Roger Viegas. A proposta do parlamentar também prevê a obrigatoriedade de detectores em eventos. No entanto, o texto de Rodyson obriga o uso somente em eventos com bilheteria. A multa corresponderá a 10% da arrecadação da festa.

Rodyson disse que irá conversar com Roger Viegas para que os projetos sejam unificados.

Foto: CMD/Divulgação

Legenda: Proposta foi apresentada pelo vereador Roger Viegas




Comentários
×