Vai explicar ou não?

Vai explicar ou não?

 

Divinópolis mais uma vez é tomada por uma velha discussão – que agora está em fase de implantação – o georreferenciamento e a revisão da planta de valores do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Mais uma vez o assunto é pauta na Câmara e começa a tomar “forma” na cidade. Ao mesmo tempo em que a Prefeitura já começou a notificar os proprietários dos imóveis sobre o reajuste do imposto, os vereadores “batem cabeça”, e  falta muita informação. O que mais chama a atenção é que a mesma administração, o mesmo Legislativo que ama um show, que adora vídeos nas redes sociais, mantêm a população desinformada sobre um assunto de extrema importância e que afetará todos por igual. Os mesmos que batem no peito em suas redes sociais que trabalham pelo povo não se esforçam em nada, mas absolutamente nada, para esclarecer o assunto junto à população. 

Sobram vídeos, mas faltam informações capazes de munir os divinopolitanos acerca do assunto. Nem mesmo os parlamentares são capazes de informar ao povo o que de fato está acontecendo e o que vai acontecer. As perguntas são as mais diversas. Quando vai aumentar? De quanto será o acréscimo e como? Em algum lugar vai diminuir o valor do imposto? Qual a metragem mínima para se ter aumento? Atrás dessas vêm outras perguntas. E, claro, se nem os vereadores, que têm ligação direta com o “alto da Paraná”, sabem responder, o que dirá a população. Faltam não só explicações, mas informações claras e objetivas, falta participação popular, falta uma linguagem simples capaz de mostrar – desenhar – para o povo o que vai acontecer nos próximos meses e quais são os próximos fatos. O povo não pode ficar apenas com as notificações nas mãos falando que o IPTU vai aumentar. O povo não entende as notícias rasas divulgadas no site da Prefeitura. Mais do que isso, tem o direito de saber o passo a passo do que está e vai ser feito. 

A verdade nua e crua é que reuniões a portas fechadas com assuntos de tamanha relevância não informam. É preciso ouvir, estar aberto ao diálogo, e não se fechar em uma torre e, assim como a “Rainha de Copas”, apenas ditar normas, ordens e despachar notificações. Em um momento tão delicado quanto este, conversar é preciso, explicar também. Afinal, o que se espera é que aqueles mesmos que amam as redes sociais, que não medem esforços em aparecer, se desdobrem para garantir o acesso à informação e para cumprir um dos princípios da administração pública que é o da publicidade. Chegar ao poder e simplesmente “mudar de roupa” não é apenas uma falta de respeito com os seus eleitores, mas com a população, que trabalha dia e noite para manter Divinópolis de pé. 

Explicar, conversar até a exaustão, dialogar e ouvir – é minimamente isso que o povo espera daqueles que se disseram um dia “representantes do povo”. É preciso atualizar a planta do IPTU, sim, mas primeiro é fundamental informar, de forma clara e objetiva, para que o povo não se arrependa das escolhas que fez.

 

Comentários
×