Universo feminino

João Carlos Ramos

A mulher é o lado feminino de Deus. Como tal, é completa em sua altíssima missão de ser. Tal revelação é privilégio de  poucos,englobando os  dois mundos.

Assim como no universo cósmico um astro luminoso ou iluminado se difere um do outro, também o feminino se difere do masculino e, obviamente, toda desarmonia é oriunda da ausência desta revelação. “Os opostos se atraem e ao mesmo tempo se  repelem.” Esta é a lei e não podemos nos opor.

Sabemos que o filtro da audição é atuante na espécie feminina desde tempos imemoriais e o da fala interpõe, sendo propriedade do universo masculino.

A psicologia é pobre diante do infinito, mas, mesmo assim, concorda, em tese, com os pilares desta exposição. A astrologia mais antiga, mais poética e, portanto, mais bela, divide os nativos em femininos (touro, câncer, virgem, escorpião e peixes) e masculinos (áries, gêmeos, leão, libra, sagitário e aquário).

Independentemente da sexualidade, a regência imprime a energia feminina ou masculina nos referidos nativos. Podemos constatar, então, que o objeto de minha fala, o feminino, se refere ao transcendental e não à materialidade com a qual somos formados. A singeleza é própria do amor residente neste referido  aspecto da feminilidade. Nada e ninguém muda o que está estabelecido. 

Diz um conto árabe a seguinte história: Um homem se encontra com um espectro que lhe diz: “Ao meio-dia em um banco de uma praça, o sino da igreja irá bater, assinalando sua morte”. O homem, para escapar da sentença mortal, foge rumo ao infinito das estradas. Acontece que todo mortal tem sede, fome e cansaço. Completamente atordoado, em seu cavalo veloz, resolveu parar, vendo as luzes de uma cidade.

Na cidade havia uma praça e ele, se esquecendo dos detalhes da profecia sinistra, resolveu se sentar. Logo avistou e cochilou aliviado...

Nesse mesmo instante, ele ouviu o badalar do sino da matriz, em frente a praça. Olhou, assustado e observou que era exatamente meio-dia. Naquele exato momento, o espectro apareceu diante dele e lhe disse: - Eu não disse que sua morte ocorreria ao meio-dia em uma praça? - Imediatamente, ele morreu!

Não podemos fugir de nossos próprios pés. O livre-arbítrio apenas contribui com aquilo que há de ser. Quer queira ou não, o feminino ilumina e aquece.

Somos pequenos demais,enquanto a sabedoria é infinita.

"Aceita que dói menos!"

Deus vos ilumine!

[email protected] 

Comentários
×