Um artista de muitas artes

AILTON COSTA

Um artista de muitas artes

 

CARREIRA

Ailton Costa é natural de São Paulo, mas reside em Divinópolis há 27 anos. Iniciou a sua vida artística aos 16 anos na ‘‘Cia de teatro Cláudio Ramos’’ como ator, iluminador e contrarregra. O destaque na área cultural veio com a “Cia de Teatro Os Teatráveis”, uma das maiores do Centro-Oeste mineiro, da qual foi cofundador e idealizador de projetos de destaque como “Toda Terça Gravatá”, considerado o segundo maior projeto de teatro de Minas Gerais.

 Foi também cofundador do Grupo de Atores de Cinema de Divinópolis (GAC), do Centro Gerador de Cultura de Divinópolis (Cegec), da Tico-tico Repetico de Teatro Infantil, da Lúdico e da Tumate Cru de comédia.

Com 22 anos de carreira, o ator participou de comerciais, documentários, filmes e espetáculos de teatro. Como técnico em iluminação, foram mais de 300 espetáculos diferentes. 

Como fundador da “Top Kemp Produções Culturais”, já trabalhou com artistas de destaque nacional como Marley Cevada (Nina, da Praça é Nossa), Nilton Pinto e Tom Carvalho (humoristas), Geraldo Magela (Ceguinho), Giovani Braz (Saidera, da Praça é Nossa), entre outros. Como produtor cultural, criou vários projetos e espetáculos de teatro: de rua, de palco italiano, para empresas, escolas, projetos de leis de incentivo e festivais de stand up. 

 

NA MÚSICA

Desenvolvendo o seu lado musical, o artista criou a banda Esfera do Ser, na qual mostra todo o seu talento com poesias e músicas autorais. Com o projeto da Lei Aldir Blanc Secult/MG, o artista ficou em primeiro lugar com o single “Camilah de maquiagem”, que aborda a temática de violência doméstica.

Outro projeto musical de encher os olhos é o “Rock para surdos”, que resultou em um lindo e impactante clipe em libras, que trabalha a vibração e a letra direcionada.

O artista também compôs uma música em homenagem a Divinópolis, exaltando os pontos fortes da Cidade do Divino. 

A banda Esfera do Ser já produziu 16 clipes musicais e um álbum musical com 14 faixas, chamado “Xícaras”.

“Os trabalhos que desenvolvo atualmente falam de violência doméstica, aceitação, transgênero, linchamento, corrupção, fanatismo religioso, pandemia. Mas eu prefiro pensar que falo de amor de formas diferentes e busco ressignificar a tragédia a chamando de partida. E, mesmo com tantas crenças limitantes, a ideia do Esfera do Ser é falar da essência do ser com poesia e música”, conta o artista. 

 

NO AUDIOVISUAL

Ailton também transita muito bem no audiovisual e produziu cinco curtas-metragens: "Homem da Janela" (Drama); "Linda", (que participou do Festival de Curtas Ambientais, promovido pela In Cawsa); Um dos criadores da série “Teco e Teodoro”; "Todos Iguais" (selecionado para o 3º Festival de Cinema de Jaraguá); “3 Olhares na Pandemia” selecionado pelo projeto Aldir Blanc e “Fruto Estranho”, filme criado usando unicamente um celular.

 

NOVOS PROJETOS

Atualmente está desenvolvendo outros projetos de audiovisual, um curta-metragem que aborda a temática de violência doméstica e uma série com 15 episódios que resgata o clown do jogo tais como o de Chaplin e Buster Keaton e dois clipes de suas músicas autorais sendo elas “Menina Mulher” e “Permita-se”.

No teatro, trabalha em um espetáculo infantil que ensina às crianças a importância de palavras como “obrigado”, “por favor” e “bom dia”.

Para mais informações, entre em contato com o artista. (37) 98829-4928

https://www.facebook.com/esferadoseroficial

https://www.instagram.com/esferadoseroficial

Comentários
×