Trocas de partidos tornam PSC e PV maiores bancadas da Câmara

Líder do governo ameaçou deixar cargo e sigla, mas, no fim, permaneceu nos dois

 

Matheus Augusto

Encerrado o período para troca de partido, PSC e PV se consolidaram como as siglas com mais vereadores na  Câmara. As únicas mudanças partidárias na Casa se limitaram a Lohanna França e Diego Espino. Lohanna deixou o Cidadania, pelo qual foi eleita com a maior votação na história do Legislativo, pelo Partido Verde (PV), no qual é pré-candidata a deputada estadual. Já Espino, que deve disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados, deixou o PSL, antigo partido de Bolsonaro (hoje, no PL), para se filiar ao PSC, que conta com a presença, no âmbito local, de Cleitinho Azevedo e os irmãos, o vereador Eduardo e o prefeito Gleidson. 

Quem também esteve envolvido nas conversas para trocar de sigla foi justamente o líder do Executivo na Câmara, Edsom Sousa. Após solicitar desfiliação junto ao Cidadania por discordar da federação com o PSDB e flertar com outros partidos, o vereador vai permanecer no CDN. 

As duas mudanças transformaram o PSC e o PV nas maiores bancadas da Câmara ao menos até o próximo ano, quando, caso eleitos, devem deixar o Legislativo. Os dois partidos somam seis vereadores três cada , ou seja, cerca de um terço da Casa. 

Cidadania, MDB e Republicanos possuem dois representantes cada. PSDB, PDT, PSD, PSDB e Patriota permanecem com apenas um vereador em suas legendas.

 

Confira como ficou cada bancada:

PSC

Ana Paula do Quintino

Diego Espino 

Eduardo Azevedo

PV

Lohanna França 

Rodyson do Zé Milton 

Zé Braz

Cidadania

Edsom Sousa 

Josafá Anderson

Republicanos

Roger Viegas 

Wesley Jarbas 

MDB

Ademir Silva

Hilton de Aguiar

PSDB

Eduardo Print Jr.

Patriota

Flávio Marra

PDT

Israel da Farmácia

PSB

Ney Burguer

PSD

Rodrigo Kaboja

 

Cargo vazio?

Apesar das críticas, Edsom Sousa (Cidadania) permanecerá na liderança do governo por decisão própria. O vereador se mostrou incomodado com as críticas proferidas pela colega Ana Paula do Quintino (PSC) durante a última reunião ordinária, na quinta-feira, 31.

O encontro foi marcado pela aprovação do aporte financeiro ao Consórcio TransOeste para evitar o colapso do transporte coletivo. Edsom não participou da votação e deixou o Plenário alegando a necessidade de comparecer a uma emergência de saúde na família.

Durante a discussão do projeto, apresentado pelo Executivo, a vereadora criticou a ausência de diálogo da atual Administração com os parlamentares. 

— O líder do Executivo tinha que estar aqui. Ele é o elo entre essa Casa e o Executivo, e nunca se sentou com a gente para discutir nada. Por quê? (...) Um projeto dessa importância e o líder do governo não conversou nada com a gente — cobrou Ana Paula do Quintino.

Edsom se reuniu na tarde de ontem com o prefeito Gleidson e a vice, Janete Aparecida (PSC), e acertou sua permanência na liderança do Executivo na Câmara.

 

Projetos

Os vereadores se reúnem hoje, a partir das 14h, para a votação de seis projetos, com apenas um do Executivo.

A primeira posição é o PL CM 236/2021, de Josafá Anderson (Cidadania), que obriga o Executivo a divulgar, no Portal da Transparência, os repasses, o plano de trabalho e a prestação de contas das entidades ou órgãos beneficiários de emendas impositivas. O objetivo, defende o autor, é dar transparência ao processo.

— Desta forma, dar transparência e fornecer aos munícipes instrumentos que possam facilitar o acompanhamento dos atos e serviços da administração pública mostra comprometimento do Poder Público com o cidadão, tornando nossa cidade uma referência em termos de bom uso dos recursos públicos e transparência na gestão — defende.

Em seguida, os edis podem aprovar, sob solicitação de Roger Viegas (Republicanos), a criação da campanha "Vem pro MEI", através do PL CM 002/2022. O intuito é promover mutirões para formalizar os empreendedores informais que se enquadram na categoria MEI e divulgar informações sobre as vantagens da regularização. 

Em sua justificativa, o vereador cita, por exemplo, os direitos à aposentadoria, licença-maternidade, auxílio-doença e linhas de crédito específicas com juros menores. 

— Ocorre que, muitas vezes, os empreendedores que exercem sua atividade de forma informal não têm acesso às informações ou não sabem o que deve ser feito para se formalizar como Microempreendedor Individual, nessa hora a presença do Poder Público é fundamental para o êxito dessa política — ressaltou.

Volta à Câmara para votação o PL CM 006/2022, de Lohanna França (PV), que obriga hospitais e serviços de saúde divulgarem a possibilidade de mulheres vítimas de violência realizarem cirurgias plásticas reparadoras de forma gratuita, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Com isso, a vereadora espera ampliar o acesso das vítimas ao procedimento. 

— Os espaços de proteção e acolhimento de mulheres em situação de violência bem como os mecanismos de apoio a elas têm crescido, mas ainda permanecem pouco conhecidos pela população feminina — destacou.

Outro projeto que volta à pauta é o PL CM 44/2022, de Eduardo Azevedo (PSC). O texto declara de utilidade pública a Associação Beneficente Filho Prodígio. Com sede no Córrego do Paiol, zona rural de Divinópolis, a instituição oferece atendimentos voluntários de odontologia, direito, psicologia, nutrição e assistência social.

— A associação desenvolve atividades relacionadas à área da dependência química, acolhendo, tratando e recuperando homens de 18 a 59 anos viciados em álcool e outras drogas — cita.

Penúltimo projeto em pauta, o PL CM 45/2022, de Ney Burguer (PSB), denomina Alessandro Jesus de Araújo o complexo esportivo do bairro Planalto. O nome é uma homenagem ao ex-jogador conhecido como Alessandro Escapamentos, responsável pela fundação do time Manchester, que disputou campeonatos em Divinópolis e região. 

— Alessandro ganhou vários torneios os quais disputou, de futebol de salão a futebol de areia, multicampeão do torneio rural e Bonsucesso, e com isso participando diretamente (junto com outros amigos) em patrocínios e desenvolvimento esportivo da cidade — detalha.

A reunião deverá se encerrar com a votação do único projeto da atual administração na Ordem do Dia, o PL EM 20/2022. O documento corrige os dados cadastrais de quatro imóveis da Lei 8.968, de fevereiro deste ano. A adequação é necessária para iniciar o trâmite necessário à alienação dos imóveis.

Comentários
×