Terceirizados Virtuais

BLOCO DE MODA

Wagner Penna

 

TERCEIRIZADOS VIRTUAIS

  Uma das empresárias mais prestigiadas do país, Luiza Trajano mostrou que continua dando duro à frente das suas empresas – mesmo já listando entre as mulheres mais ricas do Brasil. Nesta semana, surpreendeu a todos sua presença à frente da Caravana da Magalu, incentivando os pequenos comerciantes a se hospedarem no marketplace (shopping virtual) da sua empresa.

   Mais que disposição física e dedicação,  ela mostra, assim, que valoriza as suas parcerias no comércio virtual – e sabe  a importância disso. Atualmente os 180 mil lojistas abrigados no e-commerce do Magazine Luiza representam mais de um terço das vendas feitas ali. O mesmo ritmo é assinalado nos endereços reconhecidos pelo mercado como os melhores e mais confiáveis – como o Mercado Livre e a Americanas. No Mercado Livre, praticamente 100% dos produtos vendidos são oferecidos por terceiros. No caso das Americanas, cerca de R$ 6,2 bilhões do total de R$ 11 bilhões vendidos no último trimestre vieram de terceirizados.

   Quando isolados no nicho de moda, a maioria dos marketplaces do país tem percentuais de participação terceirizadas ainda tímidas. Resumo: embora o crescimento expressivo do comércio virtual, o segmento de moda ainda tem muito espaço para crescer e faturar no assunto.

 

VAIVÉM

  • O quiproquó na cena fashion internacional, atualmente, é a biografia da jornalista Anna Wintour, editora da revista Vogue, nos EUA. Também conhecida por ter inspirado o livro/filme “O Diabo Veste Prada”, teve alguns segredos revelados e  mitos desmascarados. Um deles é que ela teria deixado de prestigiar modelos nas capas da revista, para colocar mulheres relevantes. Foi exatamente o contrário, pois no seu “reinado” a revista trocou socialites e empresárias pela turma pop – tipo atrizes, rock stars e afins.

 

  • A chamada “moda circular”, aquela em que há o reaproveitamento do material usado e descartado  para se fazer novas peças, está cada vez mais chegando às grandes empresas. No Brasil, a Renner e a C&A estão liderando o assunto, com várias iniciativas para o reuso consciente. No mercado, esses produtos estão cada vez mais valorizados.

 

  • PONTO FINAL. O assunto fashion da semana foi o vestido de noiva da socióloga Janja no casamento com o ex-presidente Lula. Idealizado pela estilista Helô Rocha (que durante anos participou da São Paulo Fashion Week com sua finada marca Têca), foi bordado na região nordestina do Seridó – um toque bem brasileiro. Poucos sabem, mas, desde Alagoas até o Ceará, a riqueza dos bordados  de vários tipos (renascença, crivo, redendê, bainha aberta, filé etc. etc.) feitos na região é imensa e merece uma atenção maior de nossa moda.
Coment√°rios
×