Tem substituto

Tem substituto 

A semana começou com novidades no que se refere à CPI da Educação. O cargo de Andreia Dimas, afastada do comando da Secretaria de Educação enquanto a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) faz seu trabalho de apuração de possíveis irregularidades, já tem dono. Trata-se do assessor de governo, Fernando Henrique Costa de Oliveira. Entende-se que a pasta não poderia ficar sem um comandante, mas esperava-se que, como foi dito em campanha e mesmo durante o mandato da atual gestão, que a escolha fosse técnica. Como se sabe, o assessor que ocupa um cargo de confiança tem formação em direito e não possui especialização em educação. Se com uma servidora da área, com vasta experiência, foram cometidos tantos equívocos, imagina! Decisões na esfera pública precisam ser analisadas, discutidas e consultadas. Ao contrário, o risco de dar errado é gigante. 

 

Passos seguintes 

A CPI que apura denúncias de superfaturamento na  compra de materiais para as escolas municipais trabalha há duas semanas. Os membros estão debruçados em um interminável amontoado de documentos, boa parte de ofícios respondidos pela Prefeitura. Na continuidade das ações, três novas reuniões foram marcadas para os dias 18, 20 e 25 deste mês, oportunidade em que serão lidas e analisadas todas as informações colhidas até agora. Encontros em que podem ser tomadas novas decisões consideradas necessárias. Uma delas, o início das oitivas que têm como estreante Andreia Dimas, única “fritada” até agora. Nesse sentido, o vereador Edsom Sousa (CDN) está com a razão. Apesar de Andreia ser a responsável pela pasta, a canetada não foi só dela. Se não se esperou o resultado das apurações para ela, o mesmo destino teriam que ter tido os demais, ao contrário, não é justiça.

 

Iniciativa louvável 

A ação do prefeito Gleidsom Azevedo (PSC) em entregar toda a documentação relativa ao processo no Ministério Público (MP) e Polícia Federal (PF) é louvável, visto que afirma que não tem nada a temer. Sem dúvida, quem conhece a história de vida da sua família, incluindo os dois irmãos que também ocupam cargos políticos, sabe que isso é verdade. Pessoas trabalhadoras que nada mais almejam do que ajudar a população, pois já sentiram na pele  o que é lutar, suar, pagar caro e não ter contrapartida. No entanto, a não ser sua boa iniciativa, nenhum deles nada pode fazer, por enquanto, a não ser que sejam provocados a fazê-las.  Caso contrário, vão esperar o resultado da CPI da Câmara, que, dependendo do resultado, pedirá aos órgãos competentes para as devidas providências. 



Se repetiu 

Direção e álcool podem ter sido a causa de mais um grave  acidente no fim de semana em Divinópolis. Pelo segundo fim de semana consecutivo, a população se chocou com as consequências da batida que terminou na morte de mais uma pessoa jovem. Mais uma, porque, na semana passada, outra havia perdido a vida em situação semelhante, não só na gravidade, mas com a mesma infração ao volante: condutor que consumiu álcool antes de pegar a direção. No primeiro caso, na MG-050, no sábado anterior, uma mulher de 27 anos perdeu a vida e deixou um filho pequeno. Neste sábado, uma jovem de apenas 17 anos se foi e com ela a alegria da mãe e do pai e, como se não bastasse, o irmão ficou gravemente ferido e ainda luta para viver. Em ambos os casos, os condutores haviam consumido bebida alcoólica, conforme a Polícia Militar. Tragédias anunciadas, mas que poderiam ter sido evitadas. 

Coment√°rios
×