Suspeito de agredir jovem de 17 anos com socos está solto

Vítima, que trabalha como DJ, relata ter sido atacada após negar um beijo

Bruno Bueno

Divinópolis registrou mais um terrível caso de violência contra mulher no último fim de semana. Gabriela Maia, jovem de 17 anos, que trabalha como DJ, foi agredida após se recusar a beijar um homem em uma casa noturna próxima ao parque de exposições. 

O caso aconteceu na madrugada de sábado e gerou enorme comoção na cidade. Várias pessoas enviaram mensagens de apoio para a vítima. O Agora conversou ontem com seu empresário. O agressor continua solto. 

Entenda

Gabriela Maia faz parte de uma produtora de funk e realiza shows na região. Na última sexta, ela foi para a casa de shows, apenas para se divertir. 

A vítima contou detalhes da agressão em suas redes sociais. Ela relata que o homem a abordou de forma grosseira, agressiva e com palavras de baixo calão.

— Foram várias tentativas de tirá-lo de perto de mim. Em tom de voz mais alto, gritei com ele e pedi licença. Naquele momento, não consegui identificar o que estava acontecendo. Percebi que da minha boca descia uma quantidade absurda de sangue — conta.

Gabriela conta que suas amigas perceberam a movimentação e pediram ajuda para os seguranças da boate. 

— O então agressor tentou me bater novamente e começou a gritar me chamando de vários nomes absurdos. Eu caí no choro, pois nunca passei por uma situação tão constrangedora — revela.

Apoio

A jovem aproveitou a oportunidade para agradecer o apoio recebido, especialmente de sua família.

— Passando pra agradecer todo apoio e carinho que recebi dos meus amigos e principalmente dos meus pais que não estão medindo esforços para que a justiça seja feita — relatou.

Por fim, a vítima disse que deseja um mundo que as mulheres sejam livres de qualquer violência.

— Eu gostaria também que todas as mulheres do mundo nunca se deixem entregar por uma situação dessa. Saibam que vocês não estão sozinhas. Temos todo apoio! — finaliza.

Revolta

O empresário da jovem DJ, Hisnan Pereira relatou estar extremamente revoltado com a situação. 

— Se eu tivesse lá, seria pior. Não ia aceitar um homem por a mão nela desta forma. A Gabi é uma menina muito especial para nós. O rapaz pegou no braço dela querendo beijar e a Gabi negou muitas vezes. (...) Na agressão, o pessoal foi estancar os ferimentos ao invés de travar o cara — conta.

HP, como é conhecido, conta que o pai da vítima é policial civil. Para ele, o trabalho dos seguranças no local deixou a desejar.

— O certo era segurar [o homem]. Ele agrediu uma mulher menor de idade.(...) Eu fico chateado, pois trabalho com eventos. Se tiver qualquer confusão, a gente trava as duas partes envolvidas para apurar. (...) Se tivessem segurado o cara, não tinha dado essa proporção toda — explica.

Prisão

O empresário conta que militares foram atrás do agressor durante o fim de semana, mas não o encontraram.

— Fizeram o B.O e corpo de delito. Além disso, descobriram onde era a residência. A PM procurou e não achou o homem, disseram que ele estava em outro lugar. O advogado do rapaz entrou em contato dizendo que ele ia se apresentar, mas, por enquanto, continua solto — enfatiza.

O representante da DJ revela que a vítima pediu para cancelar alguns shows nesta semana.

— Ela já está melhor, mas todos ficaram muito abalados. (...) Não é qualquer pessoa, tem que olhar todos os aspectos. Mexeu com a filha do policial civil — conclui.

Repercussão

A publicação de Gabriela conta com milhares de curtidas e mensagens de apoio. Joana Emília foi uma das pessoas que se solidarizou.

— Isso mesmo, minha linda. Tem que denunciar mesmo as agressões. A mulher nunca deve se calar diante de nenhum desrespeito ou agressão. Parabéns pela atitude e coragem de contar tudo na rede social para que os responsáveis tomem providências cabíveis contra esse indivíduo — comentou.

A enfermeira Maisa Silva também falou sobre o caso.

— Inadmissível o que aconteceu. Precisamos lutar para que indivíduos como esse paguem pelos atos cruéis! Força Gabi. somos Guerreiras e vencemos todas as barreiras! Deus te abençoe! — afirma.

Polícia Militar

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da Polícia Militar e solicitou detalhes sobre a ocorrência. 

— A vítima relata que foi agredida por um rapaz de 29 anos com dois socos na face. O pessoal da festa onde ela estava disponibilizou algumas imagens para a gente conseguir identificar o autor — explica o tenente Rodolfo Andrade, chefe da seção.

O Boletim de Ocorrência e as imagens do agressor foram encaminhadas para as autoridades responsáveis.

— Não conseguimos efetuar a prisão dele no fim de semana e o Boletim de Ocorrência foi encaminhado para a Polícia Civil para abertura de inquérito. A vítima se deslocou por meios próprios para o hospital — acrescenta.

Polícia Civil

O Agora procurou a assessoria de comunicação da Polícia Civil para solicitar detalhes sobre a investigação do caso. Mas, até o fechamento desta matéria, por volta das 18h, a reportagem não obteve nenhuma resposta.

 

Comentários
×