Sua empresa é um lugar seguro?

Sua empresa é um lugar seguro?

Laiz Soares

Estive, na última semana, no II Fórum da Mulher Empreendedora da Região do Centro-Oeste, nele vivenciei algo que já é uma certeza para mim: as mulheres são a potência econômica no nosso país! Somos dedicadas e lutamos pelos nossos sonhos e pela nossa liberdade, no mercado de trabalho somos potências.

Empresas, organizações, equipes e sociedade têm muito a ganhar ao investir em lideranças femininas. Um ambiente diverso proporciona  mais criatividade e inovação, maior produtividade e até mesmo aumento de suas rendas.

De acordo com a pesquisa “Women in Business and Management”, divulgada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), quanto maior o número de mulheres, melhores os resultados de uma organização. Além disso, as empresas que apostam na igualdade de gênero e têm mulheres em cargos de liderança atraem e retêm talentos com mais facilidade. Em relação à rentabilidade, a maioria das empresas que adotam a diversidade relatou crescimento de 10% a 15% em sua receita.

Mas para um ambiente saudável e competitivo nas organizações, mais que a igualdade entre homens e mulheres, é preciso garantir a segurança das mulheres nessas empresas. A ocorrência do assédio dentro das empresas atinge de forma direta o clima organizacional. A pessoa que sofre algum tipo de abuso passa a produzir menos pois começa a apresentar sintomas de cansaço, ansiedade e depressão. 

O assédio moral no trabalho é muito negativo para a permanência de talentos nas organizações, o que gera perdas de capital humano muitas vezes irreparáveis. Nenhum profissional se sente à vontade em um ambiente hostil que não passa segurança, e as mulheres sofrem mais com essa hostilidade.

O assédio no ambiente de trabalho, tanto moral como sexual, com certeza é uma das maiores barreiras enfrentadas pelas mulheres no mercado. Uma pesquisa feita pelo Instituto Patrícia Galvão em parceria com o Instituto Locomotiva aponta que 40% delas dizem que já foram xingadas ou já ouviram gritos no trabalho, contra 13% dos homens que passaram por essa mesma situação. 

Quando o assunto é assédio sexual, é muito importante ressaltar que o que define se houve ou não assédio é o constrangimento que a mulher sentiu. O assédio sexual é crime, previsto pelo Código Penal, com pena de detenção de um a dois anos. Ele é o ato de “constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se o agente da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerentes ao exercício de emprego, cargo ou função”.

 

Precisamos falar sobre o assédio no trabalho de forma ampla, inclusive nas empresas! É extremamente necessário que as organizações busquem se informar sobre o tema e divulguem materiais informativos para toda a equipe, o conhecimento é um instrumento forte para a prevenção ao assédio dentro do ambiente de trabalho. 

O assédio ataca nossa dignidade, nossa segurança! Não somos objetos, não somos inferiores e NINGUÉM tem o direito de nos tratar dessa forma. Queremos paz no nosso dia a dia. 



Comentários
×