Sindicatos acusam prefeito e vice de desprezo aos servidores e de acobertar assédio moral

Da Redação

Os sindicatos municipais de Divinópolis, Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e da Região Centro-Oeste de Minas Gerais (Sintram) e Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal (Sintemmd), publicaram, nesta quinta-feira, 17, uma nota de repúdio ao prefeito Gleidson Azevedo (PSC) e a vice, Janete Aparecida (PSC). 

Os sindicalistas classificaram como "autoritária" e "arbitrária" a condução do diálogo da campanha salarial deste ano. O texto denuncia, ainda, outros pontos de desgate entre os servidores e a atual administração.

— Repudiamos veementemente a administração municipal que, além de não se abrir para o diálogo, se nega a cumprir as promessas feitas na campanha eleitoral. E ainda acoberta os casos mais graves de assédio moral, com servidores sendo constrangidos e hostilizados diariamente — destacam os sindicatos.

Em resposta, a Prefeitura se defendeu e destacou ter concedido o "reajuste de 9,63% sobre o vencimento e subsídios dos agentes públicos municipais". Sobre as acusações de assédio moral contra servidores, a atual administração disse que preza pelo respeito e pelas boas condições de trabalho.

— A Prefeitura sabe da importância de todos os servidores na rotina do dia-a-dia e na garantia dos serviços públicos. A sociedade carece sempre do melhor serviço possível e a gestão está na busca constante das melhores condições de trabalho para os servidores e que seus direitos sejam garantidos — comuniciou.

CONFIRA A NOTA DO SINDICATO NA ÍNTEGRA:

Os servidores públicos municipais de Divinópolis, representados pelos sindicatos SINTEMMD e SINTRAM, vêm a público repudiar a forma autoritária e arbitrária como a administração do senhor prefeito Gleidson Azevedo e da senhora vice-prefeita Janete Aparecida conduziu a negociação das reivindicações da campanha salarial deste ano.

Essa forma unilateral e intransigente de relacionamento com os trabalhadores vem desde o primeiro ano desse governo, que tem demonstrado profundo desprezo à categoria e aos seus representantes.

No ano passado e início de 2022 as portas da Prefeitura foram fechadas para o diálogo com os sindicatos. Isso ficou explícito em relação à recomposição salarial de 2021, que foi negada unilateralmente pelo senhor prefeito e sua vice, que sequer sentaram-se à mesa para conhecer as dificuldades enfrentadas pelos servidores. Desde 2008 não há ganho real e a classe é coagida a aceitar, inclusive, parcelamentos da recomposição, gerando ainda mais perdas aos seus salários.

Esse ano não foi diferente. Prefeito e vice esqueceram suas promessas de campanha e, sem que os sindicatos fossem ouvidos, decretou a revisão parcelada e o vergonhoso acréscimo de R$ 1 no vale alimentação. Como parte da pauta da campanha salarial, foi solicitado que se exigisse no CARTÃO DE VACINAS a identificação da imunização contra a COVID-19, reivindicação que o prefeito nem se dignou a discutir.

Ao contrário do que a administração afirma, os servidores terão prejuízos incontáveis, vez que a campanha salarial é um conjunto de reivindicações aprovadas em assembleia que resumem as necessidades mais urgentes da categoria para o desempenho digno de suas funções.

Repudiamos veementemente a administração municipal que, além de não se abrir para o diálogo, se nega a cumprir as promessas feitas na campanha eleitoral. E ainda acoberta os casos mais graves de assédio moral, com servidores sendo constrangidos e hostilizados diariamente.

O discurso desse governo de valorização da classe é uma chacota com a categoria, que expõe o desrespeito aos servidores, a maioria com dezenas de anos de carreira. O comportamento e as ações dessa administração desnudam um governo incapaz de conduzir os destinos de uma cidade do tamanho de Divinópolis.

Não vamos nos curvar diante de ameaças e as tentativas de nos intimidar serão enfrentadas com a nossa união e nossa capacidade de prestar um serviço digno ao cidadão, mesmo que tenhamos que enfrentar o permanente boicote desse governo.

Sintram e Sintemmd

CONFIRA A NOTA ÍNTEGRA DA PREFEITURA:

A Prefeitura de Divinópolis reafirma que os servidores públicos não terão nenhuma perda financeira, pois, além do solicitado pelos sindicatos, todos os servidores receberão mais 5%, isto pelo fato de que o mês base para reajuste é março, e neste ano foi antecipado para fevereiro. 

A administração concedeu o reajuste de 9,63% sobre o vencimento e subsídios dos agentes públicos municipais, de forma imediata e observando o seguinte: 5% com incidência na folha de pagamento de fevereiro, 4,63% na folha de pagamento de maio, e a diferença de 4,63% relativa - a março e abril - será paga na folha de pagamento de junho.

Com relação a exigência no cartão de vacinas a identificação da imunização contra a COVID-19, reiteramos que a referida vacina não faz parte do Plano Nacional de Imunização (PNI), mas sim do Plano Nacional Operacionalização da Vacinação (PNO) contra covid-19, sendo assim, como diretriz dos governos estadual e federal ela não pode ser obrigatória na apresentação do certificado de vacinação.

A Prefeitura sabe da importância de todos os servidores na rotina do dia-a-dia e na garantia dos serviços públicos. A sociedade carece sempre do melhor serviço possível e a gestão está na busca constante das melhores condições de trabalho para os servidores e que seus direitos sejam garantidos.

 

Comentários
×