Servidora é vítima de transfobia na Secretaria de Meio Ambiente

Sintram denunciou o caso; Prefeitura confirma e lamenta o ocorrido

Da Redação

Uma servidora da Prefeitura de Divinópolis denunciou ontem que foi vítima de transfobia. A informação foi confirmada pelo Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis (Sintram). De acordo com a profissionalde carreira do Município, o crime foi cometido dentro da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, pela recém nomeada no cargo comissionado de coordenadora de regularização ambiental.

Relato

A vítima relatou que, diariamente, realiza a rotina de entrega de documentos nas secretarias, e ontem, solicitou à coordenadora de regularização ambiental que recebesse a documentação referente à pasta. A mesma, no entanto, teria se negado a receber os documentos e determinou que outra funcionária fizesse o protocolo da documentação. Com ironia, a acuasada teria utilizado o pronome masculino para se referir a ela. 

Segundo a servidora, a coordenadora disse a seguinte frase: “pega com ele os documentos”.

— Logo após a atitude da ocupante do cargo comissionado, a servidora municipal foi até a Delegacia de Polícia Civil para registrar um Boletim de Ocorrência (B.O). Pelo fato de o crime ter ocorrido há poucas horas e se enquadrar em flagrante, o delegado determinou que a Polícia Militar (PM) buscasse a coordenadora na Prefeitura, e a conduzisse até a Delegacia para prestar depoimento — informou o Sintram em nota.

Sintram

Membros do Sintram acompanharam o caso e auxiliaram a vítima.

— A presidente do Sintram, Luciana Santos, a diretora de formação sindical, Geise Silva e o departamento jurídico do Sindicato acompanharam a servidora vítima do crime durante sua oitiva, e a instauração do inquérito pela Polícia Civil — afirmou emm nota.

Prefeitura

Em nota, o Executivo Municipal confirmou e lamentou o ocorrido.

— A Prefeitura de Divinópolis lamenta profundamente o ocorrido e salienta que está analisando a possibilidade de instaurar o procedimento administrativo para apurar o acontecido. A gestão repudia qualquer ato de discriminação sexual e vem trabalhando para criar políticas públicas e ações que visem proteger as minoria — afirmou em nota.

Comentários
×