Sérgio Moro é alvo de operação da Justiça Eleitoral

Da Redação 

O ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) foi alvo de uma operação da Justiça Eleitoral, nesse sábado, 3. de mandados de busca e apreensão da Justiça Eleitoral no Paraná, neste sábado, 3. De acordo com a juíza eleitoral Melissa de Azevedo Olivas, do TRE-PR, a operação recolheu supostos materiais de campanha irregulares nos comitês de Moro e de Paulo Roberto Martins, também alvo dos mandados.

A operação foi realizada após um denúncia feita pela federação “Brasil da Esperança” — liderada pelo PT e formada ainda pelo PCdoB e pelo PV –, que argumentou, entre outros pontos, que Moro tenta esconder seus suplentes do eleitor — e que, por isso, as peças da campanha deveriam ser suspensas. Tanto Paulo, quanto Moro são candidatos ao Senado pelo estado. 

Ainda segundo a juíza eleitoral, além do material impresso,  nas redes sociais de ambos os candidatos também têm publicado propaganda irregular, devido à “desconformidade entre o tamanho da fonte do nome do candidato a senador relativamente ao dos suplentes”.

Um dos alvos da ópera foi o próprio apartamento residencial do ex-juiz, que consta como sede de seu comitê central, em Curitiba.

A magistrada ordenou a busca e apreensão de todo o material impresso com os logotipos em descumprimento à legislação eleitoral, e a remoção imediata dos materiais em suas páginas oficiais na internet.

A juíza ainda determinou a proibição da produção e da distribuição de novos materiais contendo a logomarca irregular.

Em nota, a assessoria de Sergio Moro informou que os nomes no material de campanha estão dentro das regras previstas na legislação eleitoral. 

“A busca e apreensão se refere tão somente à, supostamente, os nomes dos suplentes não terem o tamanho de 30% do nome do titular. Todavia, isso não corresponde com a verdade. Os nomes estão de acordo com as regras exigidas, sendo assim, a equipe jurídica pedirá a reconsideração da decisão”, diz o comunicado enviado pela equipe do candidato.

 

Comentários
×