Seja a mudança

Seja a mudança 

É fato que os acontecimentos atuais – como a disparada dos preços dos alimentos, do combustível, sem contar os escândalos na política nacional e local – têm trazido uma descrença para o povo. Hoje, 13 de maio de 2022, quando um brasileiro paga mais de R$ 7 no litro da gasolina, R$ 9,90 em um litro de óleo, R$ 5 em uma lata de leite condensado, quase R$ 30 em um pacote de arroz e vê que o seu poder aquisitivo está cada vez menor, a desesperança toma conta. Estranho seria se não tomasse, afinal, ver o seu dinheiro valendo cada vez menos é de frustrar qualquer um. Mas, por aqui, sem romantizar, a população, apesar de todos os contras, continua lutando e acreditando em um Brasil um pouco melhor, e o mais importante, o povo não só acredita e sonha, como algumas pessoas – pessoas reais – conseguem trazer melhorias, transformar realidades e muitas vezes cumprem o papel daqueles que deveriam representar o povo. 

Apesar de tudo, os brasileiros resistem – e como – e conseguem, por meio de pequenas ações, de pequenas campanhas, abrir caminhos, levar informação e mudar destinos. Muita gente não imagina, mas as ações realizadas ao longo do ano em que uma cor é associada a um mês, trazem um grande impacto para a sociedade. Agora em maio, por exemplo, três importantes campanhas são realizadas. “Maio Amarelo” é destinado à prevenção de acidentes de trânsito. Já o "Maio Vermelho" tem como objetivo principal informar sobre a hepatite. Em Divinópolis é realizada a tradicional caminhada “Todos Contra a Pedofilia”. Apesar de ainda não existir um calendário oficial sobre as cores dos meses, as campanhas são cada vez mais conhecidas, divulgadas e abraçadas pelas pessoas ao redor do mundo. E, claro, a importância dessas ações é inquestionável, pois cada uma trata de um tema de extrema necessidade. 

Mas o que mais chama a atenção nisso tudo é o fato de que essas campanhas partem, na maioria das vezes, de Organizações Não Governamentais (ONGs), de pessoas que viveram determinadas situações, ou presenciaram, e que buscam, por meio da disseminação da informação correta, conscientizar a população sobre a importância de se cuidar e de cuidar do próximo. Em um resumo, são essas pessoas que se preocupam de verdade em um país melhor e trabalham de fato para deixar um Brasil um pouco melhor para as crianças, para o futuro. Pessoas reais mudando realidades. Isso, sim, faz toda a diferença no dia a dia do brasileiro. Se de um lado a política traz desesperança, desespero e descrença, por outro, o trabalho do povo, que se mantém de pé, e algumas pessoas solidárias traz esperança e acalento. 

Dizem que o Brasil tem um dos povos mais acolhedores do mundo e, apesar do atual cenário, da luta pela sobrevivência diária, ainda é possível sentir e ver o que existem pessoas que fazem a diferença no mundo e na vida do outro. Por aqui, em um país desacreditado, se o povo quer algo, melhor ele mesmo deve buscar por si só. É como disse Mahatma Gandhi: “Seja a mudança que você quer ver no mundo”. Ainda bem que o povo brasileiro tem o povo brasileiro.

Comentários
×