Seguro-desemprego registra queda no acumulado do ano em Divinópolis

No comparativo em aberturas de empresas dos últimos dois anos, cidade se destaca com crescimento de 39,4%

 

Da Redação

Com o avanço da vacinação e as boas perspectivas de vendas do segundo semestre, os empresários apostaram nas contratações para o período de maior venda no varejo – indicativos que deram suporte aos números positivos em relação à queda nos pedidos de seguro-desemprego na cidade. Também cresceram a abertura de firmas, como as de empresário individual e a empresa individual de responsabilidade limitada, que, aliadas aos MEis, possibilitaram mais um novo campo no mercado de trabalho, abrindo as portas para muitos que estavam à procura de recolocação no mercado. 

 

Números

Monitoramento Econômico apresentado pela Vitaltec à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Divinópolis, mostra que, entre janeiro e novembro, foram registrados na cidade, 8.197 pedidos de seguro-desemprego, contra 9.837 no mesmo período de 2020, representando uma retração de 16,6%.

Em novembro, foram registrados 721 pedidos de seguro-desemprego na cidade, contra 660 solicitações realizadas em novembro de 2020, resultando numa majoração anual de 9,2%. A análise mensal mostra uma elevação de 1,5%, uma vez que, em outubro, foram realizados 710 pedidos de seguro-desemprego.

— A atual positividade em relação a um 2022 de boas vendas faz com que os empresários apostem na recuperação dos negócios. E neste primeiro semestre apostam nas datas comemorativas, sendo a principal delas o Dia das Mães, seguido do Dia dos Namorados. E ter em seus quadros de colaboradores pessoas experientes já é uma ótima estratégia para boas vendas — avalia o economista Leandro Maia.

 

Centro-Oeste 

A partir da análise da variação das solicitações de seguro-desemprego nas principais cidades da região Centro-Oeste – Divinópolis, Itaúna, Pará de Minas, Formiga e Nova Serrana –, em novembro de 2020 e novembro de 2021, se constata que três dos cinco municípios demonstraram elevações no requerimento de seguro-desemprego.

Itaúna registrou a maior elevação na solicitação de seguro-desemprego em relação ao mês de novembro de 2020, 57%, seguida por Pará de Minas, com 17,6%. Já Formiga registrou a maior retração, com 25,2%.

 

Abertura de empresas

Em relação aos dados da queda do seguro-desemprego, no ano passado, a quantidade de empresas registradas em Minas Gerais cresceu 32,38% no comparativo ao ano anterior. Os dados da Junta Comercial de Minas Gerais (Jucemg) apontam que 74.185 negócios foram formalizados, número bem superior às 56.040 constituições de 2020.  O mês de julho foi o que apresentou os melhores resultados – 7.106 formalizações e crescimento de 38,5% em relação ao mesmo mês de 2020. Na sequência, agosto e março apresentaram os melhores resultados, respectivamente, com 7.017 e 6.956 empreendimentos abertos.

 

Segmentos

Por segmento, o setor de serviços apresentou a maior taxa de crescimento, 50.750 formalizações, 35,9% a mais no comparativo com 2020, que registrou 37.336 empreendimentos abertos. O comércio e a indústria também cresceram entre os períodos comparados. No ano passado, foram abertas 19.929 lojas e 4.611 indústrias, enquanto, em 2020, foram 15.290 constituições no setor de comércio e 3.526 no industrial. Na comparação com os dados de 2019, o setor de serviços cresceu 47,5% em 2021. Foram registrados, naquele ano, 34.391 formalizações em serviços, 14.577 no comércio e 3.225 na indústria. Os dados da Jucemg não incluem os Microeempreendedores Individuais (MEIs), que são registrados diretamente no Portal do Empreendedor do governo federal.

 

Por municípios

No ranking de empresas abertas por municípios, pelo terceiro ano consecutivo, Belo Horizonte liderou o número de empreendimentos abertos no estado, levando-se em consideração a importância regional de cada um deles. No ano passado, foram 18.595 constituições, 33,5% maior em relação a 2020, com 13.926 formalizações, e 46,4% a mais na análise com 2019.  Na sequência, aparecem Uberlândia, no Triângulo Mineiro, com 4.345 constituições, depois Contagem, na Região Metropolitana de BH, com 2.625, Juiz de Fora, na Zona da Mata, com 2.290, Uberaba, também no Triângulo, com 1.720 aberturas e Montes Claros, no Norte de Minas, com 1.684 empreendimentos abertos em 2021.

No comparativo dos últimos dois anos, Montes Claros se destaca com o maior crescimento, 41,7%, seguida de Divinópolis, 39,4%, Uberaba, com 35,3%, Juiz de Fora, 34,5% e Uberlândia, 21,5%.

Por tipo jurídico, a empresa que mais se abriu ao longo do ano passado foi a Sociedade Limitada (LTDA), com 55.196 constituições. Em seguida, vem o Empresário Individual, com 13.955 novos empreendimentos, e a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli), com 4.214 aberturas. Em 2021, ocorreu a formalização de 309 Sociedades Anônimas e 110 cooperativas, além de 401 empreendimentos de outra natureza.

Comentários
×