Segue o jogo

Segue o jogo 

Definitivamente, as últimas semanas não foram fáceis para a população de Divinópolis. Além dos seguidos espetáculos na Câmara, que não trazem nenhuma solução para os inúmeros problemas que a cidade enfrenta, os divinopolitanos lidaram com uma onda de furtos, que vêm ocorrendo há pelo menos um mês,  mas que se intensificaram naqueles dias. A situação chegou ao extremo e levou algumas pessoas a tentarem fazer justiça com as próprias mãos. Um vídeo nas redes sociais mostrou entregadores por aplicativo cercando um suposto criminoso, na porta de um hotel, no Centro da cidade. Na gravação, é possível ver que o grupo de motoboys “encurrala” o suspeito e, logo após, com a chegada da Polícia Militar (PM), ele é detido e levado à delegacia. O aumento de furtos de motos na região central da cidade e a falta de solução para esse problema grave levou o povo a fazer justiça com as próprias mãos, o que faz Divinópolis enfrentar mais uma vez uma situação bastante inusitada. 

Talvez esse cenário só reforce aquilo que o Agora tem trazido em suas reportagens e colunas, diariamente: a disputa de ego trava o desenvolvimento de Divinópolis. Sim! É a definição para o atual momento que a cidade atravessa. E tudo isso prova também que dancinhas, vídeos, coação de colegas de parlamento e desarmonia entre o Executivo e o Legislativo não trazem nem 1/3 da solução dos problemas que a cidade enfrenta. Um grupo de motoboys tentando fazer justiça, por estarem cansados de terem seu “ganha pão” roubado, é o retrato fiel da situação atual. O fato é que uma reforma de uma praça aqui, outra acolá, um calçamento, um asfalto, além de ser obrigação do Município – que agora conta com a ajuda da iniciativa privada para cumprir com sua responsabilidade –, apenas maquia um cenário desfavorável para ambos os poderes, que tende a piorar com a proximidade das eleições. 

Engana-se quem pensa que nada é tão ruim que não possa piorar. Diante da atual política local, em que se preocupam mais em aparecer do que em fazer a “engrenagem girar”, em legislar em causa própria e da falta de cobranças efetivas, pois todos estão focados em ganhar votos, a tendência é ir de mal a pior. Todo esse cenário piora quando se junta a uma população cada vez menos informada, cada vez menos democrática e menos responsável. Afinal de contas, a cobrança do povo faz toda diferença, mas, como a população anda se contentando com um videozinho aqui, outro ali e está tudo resolvido, os governantes se esforçam muito pouco, ou quase nada, para cumprir com as suas obrigações. 

E, enquanto isso, a população que siga lutando para ter ao menos o seu “ganha pão”, pois os representantes do povo estão mais preocupados em manter tudo, mas absolutamente tudo como está: o povo sem educação, sem dinheiro, sem comida, sem segurança, sem saúde e sem infraestrutura. Afinal, o povo aprendeu a se contentar com pouco. Segue o jogo.

 

Comentários
×