Segredo guardado a sete chaves

Batendo Bola

 

José Carlos de Oliveira

 

[email protected]

 

Segredo guardado a sete chaves

No mundo sujo da política e do futebol é impossível se imaginar que um segredo seja guardado a sete chaves. Mas no caso envolvendo a compra de 90% da SAF do clube estrelado por Ronaldo Fenômeno foi exatamente o que aconteceu. Como conseguiram, nem imagino, mas o fato é que esconderam de todo mundo o que já estava há tempos decidido. 

O acordo estava costurado há meses e as partes envolvidas somente esperaram pelo momento oportuno para torná-lo público, numa jogada de mestre, digna dos tempos do craque com a camisa estrelada.

 

Alívio começou na sexta-feira

E a alegria do torcedor estrelado começou bem antes, foi na noite de sexta-feira, com a vitória da China Azul sobre os maus conselheiros na assembleia no Barro Preto, que permitiu ao clube vender 90% das ações da SAF. Foi a partir daí que as partes envolvidas decidiram tornar público a chegada de Ronaldo Luís Nazário de Lima ao Cruzeiro, ou melhor dizendo, seu retorno ao clube cinco estrelas.

 

Como conseguiram?

Mas a pergunta que não quer calar é: como conseguiram essa proeza? Pois bem, sabemos que se determinadas pessoas tivessem tomado conhecimento do fato antes da hora, fariam de tudo para melar a negociação. Iam plantar notícias das mais diversas, com críticas chovendo de todos os lados, colocando em dúvida se um acordo como esse seria o mais apropriado para o clube. 

No submundo do futebol e da política tem muita gente que não quer largar o osso de modo algum e tornar público algo que diminuiria as chances de alguns levarem alguma vantagem nunca será uma boa medida. Vai sempre aparecer os “do contra”, que vivem do quanto pior melhor, justamente para se dar bem.

Mas nessa história de Ronaldo e Cruzeiro, os envolvidos – como fizeram, ninguém nunca vai saber –, conseguiram a proeza de manter o segredo e “passar a perna” em muita gente, inclusive em jornalistas ávidos por furos de reportagem. Nessa, “todo mundo comeu mosca”. 

 

O acordo

E vamos parar com essa história de que Ronaldo comprou o Cruzeiro. Não. Ele não comprou o Cruzeiro, mas tão somente se tornou o responsável – o dono, se quiserem assim dizer – do futebol do clube estrelado, como já aconteceu antes com o próprio Cruzeiro (mas sem a SAF), na década de 90, quando a  Hicks Muse Tate & Furst – nos anos de 1999 a 2002 – com o fundo americano sendo sócio no futebol do clube e repassando uma boa grana ao Cruzeiro para fazer contratações, e foi com esse dinheiro que o ídolo argentino Juan Pablo Sorín veio parar na Toca da Raposa. Também naquela época os investidores tinham participação ativa no futebol da Raposa.

 

Já está no lucro

E queiram ou não admitir alguns, antes mesmo de a parceria entrar em funcionamento o Cruzeiro já colhe os frutos do novo casamento. De sábado até hoje o assunto de momento em todo o mundo de futebol é o acerto, e o clube estrelado deixou, como num passe de mágica, de ser a menina feia, com quem ninguém quer nem papo. Agora todo mundo está querendo vir para cá, e o Cruzeiro poderá se dar (ufa, até que enfim) ao luxo de escolher as melhores opções, sem ter que acertar contrato com o primeiro jogador que aparecer (foi assim que o time viveu o eterno drama dos últimos anos, como não podia escolher, tinha que se contentar com o que tinha à sua disposição). Agora não, agora a conversa é em outro nível, e bons valores devem pintar na Toca nos próximos meses.

 

Tranquilidade

Ninguém precisa esperar por milagres, porque nenhuma loucura será cometida, e nenhum Messi estará na lista de reforços, mas, sim, bons jogadores, que podem render técnica e financeiramente ao clube. 

Pelo acordo que está sendo sacramentado, Ronaldo investirá R$ 80 milhões (pelos próximos cinco anos) no futebol do clube, dando margem para negociações e a certeza de que todo mundo terá pagamento em dia. O que vier acima disso será lucro.

 

Dívida continua

Sim. O Cruzeiro clube continua devendo perto de 1 bi e terá que pagar, mais dia menos dia, o que deve, mas agora com Ronaldo passa a ter bala na agulha para arrumar a casa, pois, além dos R$ 400 milhões (em cinco anos) que investirá no futebol, Ronaldo Fenômeno também se tornou solidário (uma espécie de avalista) de todas as dívidas do clube azul e branco.

Agora é arrumar a casa e tratar de não cometer nenhuma loucura que venha a inviabilizar este novo casamento. Buscar reforços, sim, mas ainda com os pés no chão.

Comentários
×