Secretário de Administração nega rumores de afastamento

Após saída de Andreia Dimas, Thiago Nunes garante não está envolvido em escândalo; líder do governo pede saída do servidor

 

Bruno Bueno

O afastamento da ex-secretária da Educação, Andreia Dimas, pegou muita gente de surpresa. A servidora de carreira saiu do cargo após decreto do prefeito Gleidson Azevedo (PSC) e que veio a público na tarde desta terça-feira, 10. Segundo comunicado da Prefeitura, o afastamento foi determinado em razão da tramitação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os gastos realizados pela pasta no fim do ano passado. 

Com a saída da servidora, várias pessoas questionaram sobre o possível afastamento do  secretário de Administração, Thiago Nunes.  Assim como a ex-secretária, ele também será ouvido pela CPI da Educação. À reportagem, ele desmentiu os rumores e garantiu que não está envolvido com o caso.

 

Descartou

O secretário descartou qualquer tipo de envolvimento na adesão de atas. Seu nome, segundo ele, não consta nos documentos analisados pela comissão.

— A questão desses processos é muito fácil de verificar. Se folhear as páginas do processo não acha em nenhum momento qualquer nome meu. Qualquer assinatura. Convoca os servidores do setor de Compras e pergunta se em algum momento eles me mostraram o processo ou se eu interviria nesses processos. É simples verificar — afirma.

— Sempre estou à disposição para prestar qualquer esclarecimento. Não sou apenas secretário municipal. Sou servidor efetivo há mais de 12 anos — acrescenta.

 

Prefeitura

No início da semana, a assessoria da Prefeitura de Divinópolis publicou uma nota desmentindo o envolvimento do secretário, bem como sua pasta, na adesão de atas do setor de Educação.

— (...) Qualquer processo de adesão à ata de registro de preços é de responsabilidade de cada Secretaria requisitante. A pasta de Administração, (...) embora seja responsável pelo setor de Compras e Licitações da Prefeitura de Divinópolis, no caso de adesão à ata de registro de preços, atua somente na orientação dos documentos necessários que devem compor o processo e na atribuição de número único ao processo — relata  o texto.

Após esse processo, segundo o Executivo, o processo segue para emissão de parecer jurídico conforme a legislação vigente. 

— Os documentos que compõem o processo são encaminhados pela secretaria responsável pela compra ou serviço, não competindo à Secretaria de Administração qualquer análise documental e análise de vantajosidade e conveniência. Este fato ocorre em todos os processos, não facultando somente aos da Secretaria de Educação — pontua.

 

Repercussão 

O rumor do possível afastamento de Thiago Nunes chegou à Câmara ontem. O presidente da CPI da Educação, Josafá Anderson (CDN), não descartou solicitar a saída imediata do secretário. 

— Não temos subsídio ainda para pedir o afastamento de quem quer que seja, mas no decorrer vamos ter essas prerrogativas — enfatiza o vereador.

A reportagem também conversou com o líder do governo na Câmara, vereador Edsom Sousa (CDN). O parlamentar, que relatou não ter sido consultado sobre a saída de Andreia, também pediu o afastamento de Thiago.

— Se afastou um, deveria afastar todos [os investigados na CPI da Educação] — dispara.

 

Como fica?

A saída de Andreia Dimas foi comunicada pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Divinópolis às 17h50 da última quarta-feira, 11. 

— O prefeito Gleidson Gontijo de Azevedo expediu decreto nesta quarta-feira determinando o afastamento temporário de Andreia Carla Ferreira Dimas das funções inerentes ao cargo de agente político de secretária Municipal de Educação em razão da tramitação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) — diz a nota.

Afastada da função gratificada, a servidora pública volta para a função que cumpria antes de ser nomeada como secretária. Sua remuneração será reduzida. A decisão foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial dos Municípios Mineiros.

 — Fica estabelecido o período de cinco dias úteis para transição da gestão da respectiva pasta – Secretaria Municipal de Educação — consta no artigo 2º do decreto.

Em nota enviada no dia do afastamento, Andreia relatou seu sentimento com a saída.

— Estou tranquila sobre a investigação, pois tenho a consciência tranquila do que cabe à Semed — afirmou ao Agora.

 

 

 

Comentários
×