Secretário confirma autoria de áudio polêmico e recebe ‘bronca’ de Janete

Material divulgado por Lohanna França mostra servidor dizendo “se pagar, aprova” em referência aos projetos de engenharia que chegam à Prefeitura

 

 

Bruno Bueno

O polêmico áudio divulgado pela vereadora Lohanna França (PV) durante a última reunião da Câmara é mesmo de autoria do secretário de Meio Ambiente, Pabloneli Vidal. A informação foi divulgada ontem pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Divinópolis. Segundo a pasta, o próprio secretário confirmou a veracidade dos fatos.

No áudio, Pabloneli diz que na Prefeitura “se pagar, aprova”. Ele se referia aos projetos de engenharia que chegam à secretaria de Meio Ambiente. Ainda de acordo com a assessoria do Executivo, a vice-prefeita Janete Aparecida (PSC) conversou com o secretário sobre sua conduta. A “bronca” aconteceu no início da semana.

 

Entenda

O áudio divulgado por Lohanna França foi extraído de uma reunião do secretário com engenheiros e arquitetos do município.

— É de conhecimento de toda a cidade que na Secretaria de Meio Ambiente, na parte de aprovação de projetos, é um setor que se você pagar, conhecer ou tiver “um jeitinho”, seu projeto vai, caso contrário… Caso alguém discorde de mim está aberta a palavra para manifestação. (...) — disse.

Um engenheiro que estava na reunião pede a palavra e diz que não sabe do que o secretário está falando.

— Eu pelo menos nunca vi isso, não. (...) No setor de aprovação de projetos eu nunca vi — afirma.

Pabloneli afirmou que ouviu as histórias nos corredores da Prefeitura.

— Você já ouviu, tenho certeza. Eu te falo porque ouço nos corredores, tanto da Prefeitura como na sociedade. (...) Tanto que houve afastamento de sete servidores por conta disso (...) — acrescenta.

 

Denúncia

Durante a reunião, Lohanna questionou a conduta do secretário. A parlamentar afirma que ele deveria ter acionado um órgão competente para averiguar a denúncia.

— Se, na secretaria dele, quem pagar aprova projeto, ele tem que denunciar ao Ministério Público.  Caso contrário, senhor Pabloneli (onde o senhor cursou direito?), você está prevaricando. Se você tem conhecimento dessas práticas na sua secretaria e não fez nada, o senhor está prevaricando! Está desrespeitando os engenheiros e arquitetos desta cidade — disse.

“Esse senhor me impressiona pela sua incompetência e grosseria”, prosseguiu a vereadora do PV. De acordo com Lohanna, o secretário sabia que estava sendo gravado.  

— Esse senhor não tem estatura moral, competência e nem conhecimento para ocupar esse cargo que ocupa e pelo qual recebe mais de R$ 12 mil por mês. Não sabe de meio ambiente, planejamento urbano, respeito com o servidor e com o cidadão. Ele praticamente embargou toda a construção civil de Divinópolis porque não consegue licenciar um lugar para o resíduo da construção civil que gera tantos empregos para esta cidade —  pontuou.

 

Investigação

Lohanna afirmou que os servidores lotados no setor de análise de projetos protocolaram um ofício pedindo uma investigação no setor. 

Conforme  a vereadora, pelo menos para explicar o que estava acontecendo. 

— Se eles estavam cometendo um crime de corrupção ou não — ressaltou. 

No entanto, segundo a parlamentar, a secretária de governo, Janete Aparecida (PSC), não acatou a denúncia. Disse que nada faria e que, se ele quisesse se desculpar, assim faria. 

— Senhora, o secretário fala em nome do governo. É um cargo comissionado indicado por vocês. Se ele diz que há corrupção na secretaria, ele também diz que vocês escolheram pessoas incapazes de apurar o que acontece na administração pública — enfatizou.

Em nota divulgada ao Agora, a Prefeitura confirmou que vai protocolar um documento esclarecendo as dúvidas dos servidores.

 

Demissão?

— Eu achei terrível —disparou Lohanna 

 Ela criticou o pedido de desculpas do secretário e solicitou que ele peça demissão imediatamente do cargo.

— A gente não tem plano de resíduos sólidos e arborização porque o senhor nada faz. Sua incompetência ressoa e você deveria sentir vergonha. Fazer um pedido de desculpas tímido em uma reunião na Escola do Legislativo é insuficiente. Faça um pedido de exoneração, esse será o maior pedido de desculpas que o senhor pode entregar para Divinópolis e para os servidores públicos que o senhor tanto desrespeita — relatou.

Lohanna concluiu seu pronunciamento sobre o assunto dizendo que o secretário necessita provar as denúncias contra os servidores. 

—  Podemos discordar da forma que os projetos são analisados, da lentidão. Tudo isso é legítimo. Mas atribuir crime, falar que "se paga, é aprovado", só se faz com provas, secretário! O senhor não tem, pois, se tivesse, já teria apresentado. Não consegue nem controlar sua secretaria — concluiu.

 

Prefeitura

O Agora entrou em contato com o secretário, mas ele não respondeu os questionamentos da reportagem. Em nota, a Prefeitura de Divinópolis informou que já está tomando medidas para resolver o caso.

— A Secretaria de Governo tomou conhecimento do fato após ter recebido um documento protocolado pelos fiscais e analistas da Secretaria de Meio Ambiente e Mobilidade Urbana e, para tanto, na última sexta-feira, foi realizada uma reunião com todos que assinaram tal documento, ouvindo todos eles. Será protocolizado uma resposta aos servidores com todas as medidas já tomadas e as que serão tomadas — pontuou. 

Ainda segundo o Executivo, o secretário se retratou durante uma reunião do Fórum de Desburocratização.

— A administração entende que o caso foi grave, o erro aconteceu, mas as desculpas e retratação pública foram feitas e as demais medidas para que essa situação não volte acontecer foram tomadas — relatou.

 

 

Comentários
×