Saúde avança no processo de escolha de nova gestora da UPA

Próxima administradora deve ser anunciada até abril

 

Da Redação

Um novo passo para a escolha da nova administração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Divinópolis, foi dado. Na última semana a Prefeitura notificou todas as nove empresas que se candidataram a assumir a gestão da unidade. Conforme informou a Secretaria de Saúde (Semusa), apenas três estão aptas para a fase final de qualificação; as demais podem apresentar recurso. 

— A Semusa notificou no dia 17 as empresas que pleiteiam sua qualificação como Organização Social no âmbito do município, acerca do resultado preliminar do processo de qualificação nº 002/2021, cujo objeto é o gerenciamento e a operacionalização da UPA — informou em nota.

 

Qualificação

Ao todo, nove entidades se inscreveram no processo de qualificação nº 002/2021. Seis delas foram consideradas inabilitadas. São elas: 

  • Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (Juiz de Fora/MG);
  • Hospital Senhor Bom Jesus (Monte Azul Paulista/SP);
  • Associação de Proteção e Amparo à Saúde (Salvador/BA);
  • Fundação Geraldo Corrêa - São João de Deus (Divinópolis/MG);
  • Instituto Ação Brasil (Lauro de Freitas/BA);
  • Instituto Med Life (São Paulo/SP);

A comissão para qualificação das organizações sociais deliberou que, dentre as inscritas, foram habilitadas:

  • Associação de Proteção à Maternidade e Infância (Ubaíra/BA);
  • IBRAPP - Instituto Brasileiro de Políticas Urbanas (São Luís/MA);
  • Santa Casa de Misericórdia (Chavantes/SP).

Conforme informou a Prefeitura na última semana, as classificadas como inabilitadas ainda podem recorrer da decisão.

— As empresas foram notificadas no dia 17, abrindo-se prazo para eventual apresentação de recurso, dentro do prazo limite de cinco dias — explicou.

 

Rescisão

A atual administração municipal anunciou em outubro o rompimento do contrato com o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS), atual responsável pela UPA. A decisão foi tomada baseada em investigações internas, tendo o controlador municipal, Diogo Mendes, concluído pela irregularidade na prestação de contas pertinentes ao contrato firmado em 2019. A transição prevista era de seis meses, com fim previsto para o início de abril. Neste período, o IBDS segue à frente da instituição de urgência e emergência. 

 

Comentários
×