Samu abre processo para apurar denúncia de vereador

Israel da Farmácia criticou suposto atraso no atendimento de um paciente em Divinópolis; Rodyson do Zé Milton defendeu instituição

 

Bruno Bueno

O atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Divinópolis foi um dos temas da 64ª Reunião Ordinária da Câmara, na tarde de ontem. Durante seu pronunciamento, o vereador Israel da Farmácia (PDT) denunciou um suposto caso de uma pessoa que relata ter sido mal atendida pela instituição. Ele disse ter feito coro à reclamação e ressaltou que já passou por uma situação parecida.

 

Quem administra o Samu na região Centro-Oeste é o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste para Gerenciamento dos Serviços de Urgência e Emergência (CIS-URG Oeste). A instituição, por meio de sua diretoria, afirmou com exclusividade ao Agora que abrirá um processo de sindicância para apurar as reclamações do vereador.

— O vereador deveria conhecer o serviço e saber que temos ouvidoria. Essa reclamação deveria ser feita por esse canal.  Esse vídeo será encaminhado para o setor responsável e será aberto um processo de sindicância. Depois da apuração, a Instituição se posicionará sobre o ocorrido — afirmou em nota divulgada.

 

Entenda o caso

Israel começou sua fala explicando o ocorrido e disse que, quando sua mãe faleceu, passou por uma situação semelhante.

— Eu gostaria de colocar um áudio, mas não vou reproduzi-lo. Eu faço coro à palavra do cidadão que fez esse áudio. É uma reclamação do atendimento do Samu. Ele foi mal assistido. Eu faço coro porque eu vivenciei isso quando, no dia 27 de março, minha mãe faleceu. Nós solicitamos na minha casa a presença do Samu e eles não apareceram. A minha mãe veio a óbito. Eu faço coro com a palavra dele — disse.

 

Ele ressaltou que o Samu precisa de mais investimentos na área pessoal e estrutural.

— Temos que investir mais no Samu. Se falta profissional, vamos contratar. Se falta ambulância, vamos comprar. Não podemos deixar o cidadão em casa sem assistência. Eu faço coro à palavra do cidadão, porque na minha casa nós vivenciamos isso. O mais agravante é que o Samu não apareceu no local. (...) Precisamos melhorar e muito — afirmou.

 

Defendeu

Durante o pronunciamento de Israel, o vereador Rodyson do Zé Milton (PV) pediu a palavra. Ele discordou da afirmação do colega parlamentar e defendeu a instituição.

— Eu que passei pela controladoria, auditoria, ouvidoria e gerência administrativa do Samu sei o que passa dentro do local em alguns atendimentos. Às vezes é uma falta de compreensão das pessoas e uma falta de entendimento. O Samu tem três viaturas que atendem toda a cidade de Divinópolis, além de São Sebastião do Oeste, Carmo do Cajuru, São Gonçalo do Pará e Araújos (...) — ressaltou.

 

Rodyson explicou que, algumas vezes, o atendimento recebe várias chamadas ao mesmo tempo e tem que se desdobrar para atender todas as demandas.

— Às vezes, vereador, acontece que na tela do computador aparecem dez ou quinze chamadas e só temos três ambulâncias. Não tem como o veículo que está fazendo a ocorrência ir para outra. Quando ele termina aquele ato, o médico de regulação vê qual é a prioridade de urgência para poder ir. Nós temos o reforço do Corpo de Bombeiros, que é insuficiente para a cidade de Divinópolis e região — falou.

 

Ele também reiterou que está em busca de emendas para possibilitar a compra de novas viaturas para o Samu.

— Estou colocando 100% das minhas emendas impositivas para aquisição de novas viaturas para o Samu. A instituição vai disponibilizar outra equipe a mais, 12x36 horas, para melhorar o atendimento em Divinópolis que é necessário. Está dentro do protocolo do Ministério, porém a demanda está crescendo, já que o cidadão está sabendo usar mais o Samu — enfatizou.

 

Convite

No término de sua fala, Rodyson fez um convite para que Israel conheça a controladoria do Samu e veja a real situação.

— Eu faço essa provocação a Vossa Excelência, e a todos os outros vereadores, para que, unidos, juntando um pouco de cada um, possamos viabilizar para adquirir novas viaturas para o Samu e melhorar o atendimento da nossa região. Fica aqui o convite para poder conhecer a parte administrativa da regulação — concluiu.

 

Israel retomou a palavra e disse que as falas do colega parlamentar apenas confirmavam o que ele já havia dito.

— Que bom, vereador, que você está atento. Está sendo gravado aqui. Você viu que o Samu está desestruturado e realmente precisa melhorar muito mesmo. Nas suas palavras você fez coro e confirmou a deficiência no atendimento do Samu. Três ambulâncias é muito pouco — pontuou.

 

Rodyson interrompeu a fala de Israel e afirmou que não havia dito isso. Israel voltou a discursar e disse que o colega iria entrar para o livro dos recordes se falasse novamente. O caso, até o momento, parou por aí.

Comentários
×