Salomão

João Carlos Ramos

Salomão

 

O rei Salomão foi fenomenal sob vários aspectos. Segundo a Bíblia, ele foi escolhido por Deus para suceder seu pai no trono de Israel, o que se concretizou entre os anos 970 e 930 a.C. Filho do rei Davi com Bate-Seba, foi vítima de dois complôs contra ele e seu pai. Adonias e Absalão, seus irmãos por parte de pai, usurparam o trono, usando de várias artimanhas para cumprir seus intentos. Absalão foi passado ao fio da espada pelo comandante Joabe. Após sua morte, Adonias arquitetou a política maquiavélica de fortalecimento político, diante dos maiorais do reino como o Sumo Sacerdote Abiatar e o próprio Joabe. Os três se uniram em uníssono numa rebelião, contando com o apoio popular dos descontentes com o reinado de então. Adonias, com a finalidade de se fortalecer ainda mais, procurou Bate Seba, a esposa de Davi, ex-esposa de Urias, pedindo-lhe apoio para se unir à ex-concubina do rei, Abisague. Abrindo um parêntesis: Abisague era virgem em plena flor dos anos. A pele, bela como o amanhecer nos campos floridos. Os olhos negros e cintilantes, cheios de esperança. Corpo escultural e voz macia, mas traçando limites que requer a sociedade de bem da época. Adonias foi "à loucura..." não apenas por causa daquela raridade em pessoa, mas sobretudo pelo interesse político, ambicionando como nunca o poderio do trono. Seus planos foram ofuscados e somente lhe restou a morte pela espada do rei Salomão, recém-entronizado. Eis que agora Salomão, como rei absoluto, recebeu de Deus sabedoria como a areia do mar. Logo se segue seu casamento com a princesa do Egito, criando laços de união de política externa. Também adquiriu riquezas incomparáveis de toda sorte, sobrepujando a todos que o antecederam. Teve 700 mulheres de sangue real e 300 concubinas (I Reis 11:3).

Como se não bastasse, Salomão conquistou mulheres estranhas ao culto de Israel. E o rei Salomão amou muitas mulheres estranhas e isso além da filha de Faraó, moabitas, amonitas, edomitas, sidônias e hetéias. Tais mulheres lhe perverteram o coração, pois eram adoradoras pagãs e Deus lhe havia advertido quanto a essas abominações contra as leis divinas. "...Então, fez Salomão o que era mau perante os olhos do Senhor e não perseverou em seguir a Deus como seu pai Davi. Então edificou Salomão um alto a Quemós, a abominação dos moabitas, sobre o monte que está diante de Jerusalém e o moloque, a abominação dos filhos de Amom. E assim fez para todas suas mulheres estrangeiras, as quais queimavam incenso e sacrificavam a seus deuses - I Reis 11:6-8".

Levantou Deus, adversários a Salomão: Hadade e Rezom, filho de Eliada, que tinha fugido de Hadadezer, rei de Zobar. Foram inimigos dele durante toda a sua vida.

Ficou a lição para a posteridade: tudo que o homem semear certamente ele ceifará! A lei é para todos e com mais rigor para os outroras protegidos e abençoados. O salário do pecado é a morte.

Nossa geração tem provado desse fel, extremamente  amargo. Sabemos que a covid-19 e suas tenebrosas variantes são frutos da desobediência dessa civilização que está chegando ao fim.

O desejo divino é que haja paz, união e fraternidade entre os povos. Aqueles aos quais foi estendido o manto do amor e o rejeitaram terão que sofrer a dor em escalas crescentes.

A mensagem está dada: Deus poupou Salomão, mas o entregou na mão de seus cruéis inimigos. Deus não poupou os anjos rebeldes, lançando-os no inferno, nos abismos da escuridão e não poupará, em hipótese alguma, essa geração pecaminosa. Fujam da ira divina!  O trem pode parar a qualquer momento na estação da morte e você terá que pagar a passagem, sendo punido pelos séculos dos séculos.

Deus te ilumine!

[email protected]

Comentários
×