Roupas a quilo

BLOCO DE MODA

Wagner Penna

ROUPAS A QUILO

 Desde o fim do ano passado, o circuito fashion tem  visto o crescimento de vendas da linha festa. Os gráficos positivos nas lojas vêm aumentando, desde então, assim como nas confecções especializadas no assunto. Um sinal de que a festa prosseguirá pelo inverno e pode chegar ao próximo verão.

   A explicação para esse “fenômeno fashion” é que ele reflete o alívio da consumidora em deixar um longo período de recolhimento forçado – em razão da pandemia da covid-19.  Agora, ela quer comemorar a liberação das restrições em clima festivo. Além disso, muitas comemorações ficaram “represadas” no período das restrições e foram transferidas para este ano.

   Um dos reflexos indiretos dessa novidade é que (grande parte) da linha casual ficou nas lojas e a linha comfy (para ficar em casa) também encalhou. Com isso, cresceram as ofertas de “roupas a quilo” – um novo tipo de liquidação. Feita em grande escala, está fazendo a festa dos revendedores de moda em todo o país.

 

VAIVÉM

  •   O crescimento das vendas on-line na pandemia e no pós-pandemia (cerca de 26%  entre 2020 e 2021 e vendas superando os R$200 bilhões/ano) está mexendo no mercado. Um exemplo foi o relançamento da marca Mesbla, uma antiga rede de lojas de moda – que faliu nos anos 1980.  Volta no formato de marketplace, com milhares de opções  de artigos.

 

  •   Quem é da moda não escapou do noticiário sobre o Baile do Met, o famoso regabofe  que a Vogue dos EUA faz, anualmente,  em Nova York.  Apesar de ter se transformado em um baile de fantasias (maioria de mau gosto, diga-se), neste ano o estilo foi salvo pelo vestido “vintage” de Marilyn Monroe que a Kim Kardashian usou na entrada da festa. Dentro do salão, ela o trocou por uma cópia – para não rasgar a peça preciosa.

 

  •   PONTO FINAL: a moda vegana, isto é, desenvolvida sem produtos de origem animal, está cada vez mais  conquistando o mercado fashion. Os calçados desse tipo são campeões no assunto. Uma das líderes é a marca gaúcha Insecta Shoes, que faturou R$ 5 milhões em 2021. No quesito vestuário, a preocupação com a sustentabilidade é mais centrada no reaproveitamento de resíduos têxteis.  E vamos em frente.

 

LEGENDA TEXTO

 O jurista e empresário José Maria Scaldini Garcia foi homenageado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) dedicando o seu nome à nova sede da 144ª seção da entidade, em Nova Serrana. A iniciativa foi um reconhecimento ao seu trabalho pelo engrandecimento da profissão.

 

Foto/Divulgação

 

Comentários
×