Romeu Zema volta a Divinópolis

Desta vez, governador entrega viaturas para a Polícia Militar, mas Hospital Regional é a principal demanda

Matheus Augusto

Romeu Zema (Novo) estará em Divinópolis nesta quarta-feira, 15, para a entrega de 29 viaturas à Polícia Militar (PM). A cerimônia será na 7ª Companhia Independente de Policiamento Especializado da PM, no bairro Icaraí, às 10h. A visita deverá ser confirmada oficialmente pelo cerimonial do governador somente nesta terça, mas fontes do Agora confirmam a agenda. 

Militares do 23º Batalhão e da 7ª Região seguiram ontem para Belo Horizonte, onde buscam os veículos.

 

Hospital regional

O governador volta à cidade com o Hospital Regional em Divinópolis paralisado e sem data para a retomada das obras. A cobrança das autoridades locais por agilidade segue. Na semana passada, vereadores, em especial os membros da Comissão de Saúde da Câmara, voltaram a ressaltar a importância da conclusão do hospital para desafogar a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Com a proximidade do inverno e um outono frio e o aumento de casos de doenças respiratórias, a UPA novamente se vê lotada. Diante da situação, a Prefeitura anunciou a instalação de um ambulatório na Policlínica para o atendimento de casos leves, na tentativa de reduzir o tempo de espera na UPA - estimado em cerca de sete horas. 

Deputados, vereadores, a vice-prefeita, Janete Aparecida (PSC), autoridades em Saúde e o Ministério Público (MP) - órgão ao qual a situação foi denunciada novamente na última semana - participaram de uma reunião no Centro Administrativo para discutir o “colapso na saúde e Hospital Regional”. Durante o encontro o discurso pregado foi de união, com foco nas cobranças ao governo estadual pela conclusão do hospital. A atual administração apresentou as medidas tomadas para solucionar a situação e reduzir a pressão sobre a UPA. 

Uma delas é a compra de dez leitos para amenizar a situação dos pacientes que estão à espera de transferência hospitalar. O investimento de R$ 800 mil é referente ao valor economizado pela Câmara e devolvido à Prefeitura no ano passado. O presidente da Casa, Eduardo Print Jr., explicou em vídeo que o recurso seria, inicialmente, aplicado em cirurgias eletivas, no entanto a Secretaria de Saúde (Semusa) informou ter condições financeiras de custear os procedimentos neste ano e solicitou nova destinação diante do cenário. 

— Estão nos pedindo autorização para fazer a compra de leitos com o valor para ajudar a desafogar a UPA neste momento de caos — detalhou o presidente sobre o recebimento do ofício com a solicitação, já autorizada.

 

De volta 

Zema esteve em Divinópolis há cerca de dois meses, no fim de março, quando participou de um evento na sede da Federação das Indústrias do Estado Minas Gerais (Fiemg) e, junto ao secretário de Estado de Saúde (SES-MG), Fábio Baccheretti, anunciou repasses para o Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). Por meio do programa Valora Minas, a unidade terá R$ 12 milhões para investir em procedimentos. Um novo tomógrafo e melhorias no setor de hemodiálise também foram anunciados.

Na oportunidade, Zema foi questionado sobre o andamento das obras do Hospital Regional. O governador parabenizou a Prefeitura e a Câmara de Divinópolis pela agilidade na aprovação no processo de destinação do terreno para o Estado.

— A Prefeitura conseguiu com o tempo recorde aprovar na Câmara e já foi sancionada a lei de dação de pagamento do lote do HR. Esse trâmite era necessário para o avanço do processo e agora nós vamos encaminhar com a maior rapidez possível para a Assembleia Legislativa — afirmou na época.

Ele disse, ainda, desejar que o processo seja concluído o mais rápido possível, mas destacou que precisa agir dentro da legalidade.

— Vale lembrar que essa obra ficou paralisada por quase dez anos e teve as contas reprovadas. Nós estamos fazendo tudo dentro das estrita legalidade para que não haja nenhum questionamento com relação à execução dessa obra. Meu sonho é que Divinópolis receba esse hospital o quanto antes. Se dependesse de mim eu já teria entregado, mas eu tenho que agir dentro da lei — disse.

 

Comentários
×