Restaurante Benedictus disputa título de melhor comida a quilo do Brasil

Voto popular, somado à avaliação de um júri técnico local, elege os três melhores de cada cidade ou região participante

 

Da Redação

O Restaurante Benedictus disputa o título de melhor comida a quilo do Brasil na 6ª edição do concurso O Quilo é Nosso, que começou na terça-feira, 13, e segue até o próximo dia 25. A lista de restaurantes participantes está disponível no site www.oquiloenosso.com.br.

Realizado pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), em parceria com a Revista Prazeres da Mesa, e patrocínio nacional da Coca-Cola Brasil, Sodexo e JBS, o evento, segundo o presidente da Abrasel, Juninho, tem a missão de valorizar uma das maiores áreas do segmento de alimentação fora do lar no Brasil – a comida self-service –, além de promover a volta dos clientes aos estabelecimentos de comida a quilo, depois de mais de dois anos de uma pandemia que afetou a economia do setor.

— Estamos preparados para atender com segurança, respeito e uma explosão de sabor à mesa — afirma.

Como será o concurso

O Quilo é Nosso é dividido em três etapas. Na primeira, cada casa oferece uma receita especial que valorize o estilo self-service. Ela deve, obrigatoriamente, fazer parte do bufê durante os 11 dias que correspondem à fase inicial da disputa. Nesse período os estabelecimentos serão avaliados por voto popular, com notas de um a cinco, em seis critérios: ambiente, atendimento, limpeza, qualidade geral do bufê, receita e adequação às normas de prevenção à covid-19. O voto popular, somado à avaliação de um júri técnico local, elege os três melhores de cada cidade ou região participante.

Na segunda etapa, que acontece com o festival aberto ao público já encerrado, um júri técnico local avalia os pratos das três casas eleitas na primeira fase e escolhe o melhor em cada estado. Por fim, na terceira e última etapa, um júri técnico nacional avalia o prato vencedor de cada estado e elege o grande campeão do país.

— Para os estabelecimentos, o concurso é também uma excelente oportunidade de criar e testar novos pratos, que mostrem a diversidade dos sabores e a criatividade dos chefs, além de atrair novos clientes, incrementar o faturamento e divulgar o negócio — completa Juninho.

Vencedores

A cidade de Manaus venceu as duas primeiras edições do O Quilo é Nosso. Em 2017, ano de estreia da competição gastronômica, o campeão foi o restaurante Mercato Brazil – Manauara Shopping, com o prato Pirarucu Caboquinho, que levou em na receita lombo de pirarucu, queijo coalho, polpa de tucumã, farinha Uarini, sal, pimenta e salsinha. Já em 2018 foi a vez do Gaúcho’s Gourmet subir ao pódio com seu lombo de pirarucu à Solimões.

O prato vencedor de 2019 foi um camarão no coco tostado com macarrão de abobrinha e cenoura com abóbora caramelizada no agridoce de goiabada, do Verdelima Restaurante, de Fortaleza (CE). Na quarta edição, em 2020, o escolhido do júri técnico nacional foi o “dumpling de tilápia”, massa à base de farinha de trigo e tapioca, recheada com tilápia cozida em caldo de especiarias e gengibre, do restaurante curitibano Tomilho Cozinha Contemporânea.

No ano passado, o título de melhor comida a quilo do Brasil foi para o restaurante Arroz com Feijão, da cidade de Franca, interior de São Paulo. O estabelecimento concorreu com um peixe recheado com vatapá e vinagrete de camarão.

Breve história 

Invenção genuinamente brasileira, o restaurante de comida a quilo é a escolha diária de milhões de pessoas em todo o país. O primeiro estabelecimento desse tipo no Brasil, e consequentemente no mundo, foi o Isto e Aquilo, criado em 1984, em Belo Horizonte, por Fred Mata Machado. A casa, que se manteve em funcionamento durante três anos, (1984-1987) era localizada na rua Professor Antônio Aleixo, quase esquina com a Rio de Janeiro, no bairro de Lourdes, contíguo ao Bar do Lopes. Foi a partir dali que o conceito se espalhou pelo Brasil inteiro.

 

Comentários
×