Repórter secreto

Repórter secreto 

Quem acompanha o programa Fantástico, da Globo, certamente deve ter visto em alguma edição o “Repórter Secreto”, em que, para sua segurança, o profissional não identificado  que apura e revela em reportagens o mau uso do dinheiro público. São desvios milionários em prefeituras, compras desnecessárias, obras inacabadas com o dinheiro gasto, entre outros. Pois é, fontes da coluna garantem que ele está em Divinópolis desde a última segunda-feira colhendo informações sobre as denúncias contra a Secretaria Municipal de Educação, que culminaram na abertura de uma CPI na Câmara. Na verdade, a pauta é a adesão de atas para compra de materiais por diversas prefeituras, e Divinópolis está entre elas. A suspeita é de superfaturamento. Enquanto a comissão apura no Legislativo, Divinópolis, infelizmente, pode ser notícia negativa mais uma vez em nível nacional. O desolador de tudo é que, mesmo não encontrando nenhuma irregularidade, o estrago já foi feito.

Antes tarde 

Exatamente este o termo para ilustrar em que ponto chegou essa situação da Educação em Divinópolis. A cada dia aparece uma novidade em relação à compra, a notas fiscais e denúncias de vereadores. Ontem, foi a vez de Print Júnior (PSDB). Muito desgastante para os dois poderes, especialmente o Executivo.  Nesse contexto, um ditado cai muito bem: “B... quanto mais mexe, mais fede”! Sem dúvida, mas, sem uma manifestação consistente por parte dos principais representantes da Prefeitura ou adoção de medidas enérgicas, o mau cheiro iria pender mais para o lado de lá. Passou da hora. Mesmo que juntasse uma força-tarefa – prefeito, vice, irmãos deputado e vereador, líder do prefeito, edis apoiadores – para se chegar a um consenso. Não se sabe se foi necessário esse comboio, o fato é que o prefeito, mesmo que tarde, agiu e foi a decisão mais sábia tomada por ele até o momento. Porém antes tarde do que nunca! 

De novo

Não vai ser hoje que a população saberá da decisão dos vereadores sobre a única denúncia que sobrou da demais contra Diego Espino (PSC). Como o Agora publicou com exclusividade, a votação para o arquivamento ou não seria na reunião de terça-feira, se a Câmara não tivesse literalmente “comido barriga”. Houve o esquecimento de se notificar uma das partes, e a votação foi adiada para hoje. E adivinha: de novo. Dessa vez, o profissional não teria sido encontrado para ser avisado em tempo hábil. Em dois dias? Sei não! Acho que tem mexida nesse parecer à vista. 

 

Virou festa 

Como se 17 fosse pouco, surgiram mais quatro pré-candidatos que pretendem disputar uma vaga na Assembleia Legislativa e Câmara Federal. Com o acréscimo do último mês, a cidade tem 22 nomes. São sete postulantes para o cargo de deputado federal, 13 para estadual, um para senador e outro que ainda não se definiu. Claro que muita coisa pode mudar, pois as convenções partidárias acontecem somente em agosto, mas que é um exagero desnecessário não resta dúvida. A continuar com essa febre, a maioria para marcar nome, Divinópolis vai se lascar novamente. O problema é que todo pleito é assim, esse amontoado de gente, um atrapalhando o outro e não elege representantes suficientes. Incrível como em uma cidade deste tamanho ainda existam pessoas com a mente tão limitada. 

Comentários
×