Reconstruir o quê?

Reconstruir o quê?

 

Por causa dos estragos feitos pelas chuvas que atingiram várias cidades de Minas Gerais, nas últimas semanas, incluindo Divinópolis, o que mais tem se ouvido é a palavra “reconstruir”, e planos, muitos mesmo, para “reconstruir” Minas, para “reconstruir” Divinópolis. Em paralelo ao que os divinopolitanos enfrentam diariamente – temporais, terremotos, aumento exponencial dos casos de covid-19 – há ainda uma briga ferrenha entre os Poderes Executivo e Legislativo, na cidade. Apesar de esse “cabo de guerra” ter se tornado rotineiro em Divinópolis, é fato que se tem algo que precisa ser reconstruído é o relacionamento entre os vereadores e a atual Administração. A prova disso é o atual cenário que a cidade enfrenta. Nessa disputa sem fim entre prefeito e alguns vereadores, com ataques gratuitos, a única certeza que se tem é que quem perde é a população. E nenhum dos 17 parlamentares, o prefeito e a vice foram eleitos para isso, para disputar poder e quem faz a “melhor” acusação. Todos foram escolhidos – pelo menos na teoria – para defender os interesses do povo.

Enquanto Divinópolis enfrenta mais uma onda da covid, agravada pela influenza, o chefe do Executivo troca farpas, por meios de comunicação, com vereadores da oposição, que não deixam por menos e rebatem as declarações. Enquanto a cidade enfrenta o caos e a população precisa lidar com o medo com tanta coisa ruim acontecendo, os governantes se atacam e dão prova de que não estão preparados para representar um povo, e muito menos para defender os interesses daqueles que os elegeram. Divinópolis precisa, de forma urgente, antes de qualquer coisa, da reconstrução dos Poderes e da relação entre eles, pois uma coisa é fato: não tem como uma cidade crescer, avançar com o comportamento adotado pelos representantes do povo. Divinópolis precisa, antes de qualquer reforma administrativa, de empréstimo, de usina de asfalto, é de um plano de contingência contra a covid, de uma comunicação clara, aberta, transparente, de representantes que cumpram com os seus deveres, que se respeitem e trabalhem em prol do povo.

A cidade hoje precisa de um rumo e de gente competente para isso, pois já está mais do que comprovado que briga de ego, ofensas, discursos bonitos e vídeos em redes sociais não trazem o que o povo precisa: saúde, educação, desenvolvimento econômico, infraestrutura, planejamento e organização. Hoje, está mais do que provado que, para fazer gestão, é preciso ir além do discurso, é necessário união e força. E de nada adianta cobrar isso do povo quando aqueles que deveriam ser os primeiros a se unir em um único propósito protagonizam cenas lamentáveis de disputa de egos. É fato que se um tremor de terra, se um temporal é capaz de causar estragos, essa postura dos governantes pode causar destruir tudo que é irreparável. É tempo de reconstruir, mas reconstruir aquilo que trará benfeitorias para o povo em médio e longo prazo. Divinópolis precisa de mais, de muito mais.

 

Comentários
×