Quem serão os escolhidos?

Preto no Branco 

Os partidos começam a definir a data de suas convenções. Com isso, nos próximos dias, já será possível conhecer alguns dos candidatos que estarão na disputa por uma cadeira na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), no Congresso, no Senado ou mesmo na presidência. Alguns pré-candidatos, por exemplo, já parecem não mais tão certos na briga eleitoral. Divinópolis, especialmente, fica de olho nos nomes que as siglas vão escolher para concorrer a vaga de deputados, tanto estaduais como federais. 

Força política

Atualmente, a cidade conta com apenas um representante na ALMG e um na Câmara Federal, ou seja, tem articulação e força política limitada. Caso não haja uma pulverização acentuada dos votos devido ao alto número de candidatos, a cidade pode conseguir se fortalecer nas demais esferas para além da municipal. Conforme previsto no calendário eleitoral, os partidos têm até 5 de agosto para realizar as convenções e definir os escolhidos. Na cidade, o cenário deve ficar mais claro nos próximos dias com as definições de alguns nomes e a exclusão de outros. Mas uma coisa é certa: não devem faltar opções. 

Programação

Seguindo o calendário, em 15 de agosto termina o prazo para o registro oficial das candidaturas. No dia seguinte, têm início as campanhas. No entanto, algumas práticas estão proibidas, como o uso de robôs para o disparo automático de informações falsas em ataque aos demais candidatos. No dia 26, começa a veiculação da propaganda eleitoral gratuita, que seguirá até o dia 29. Após, resta apenas aguardar a eleição, com o turno marcado para 2 de outubro e o eventual 2º, dia 30. 

UPA: novo entrave?

Ainda no ano passado, a Prefeitura de Divinópolis iniciou o processo licitatório para definir a nova gestora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA). A unidade é atualmente administrada pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS), em caráter temporário desde a rescisão contratual. Já na fase final, duas organizações disputam a administração da UPA. O processo, previsto inicialmente para ser concluído ainda no primeiro semestre deste ano, se estende e, agora, tem novo entrave. Em nota publicada nesta semana, o Executivo informou que o IBDS apresentou uma denúncia no Tribunal de Contas do Estado (TCE) "alegando que apresentou impugnação ao edital de licitação e esta foi rejeitada pela Comissão de Licitação" por ter sido apresentada fora do prazo. O IBDS discorda da decisão. O instituto também teria classificado como ilegal a decisão da Prefeitura em exigir que o IBDS, para participar da nova licitação, tivesse que se submeter a nova qualificação prévia, uma vez que já havia passado por procedimento similar em 2019, quando foi escolhida para gerir a unidade. 

Jogo duro

A administração municipal prestou ontem as informações solicitadas pelo TCE. Uma liminar, inclusive, suspendeu a rescisão do contrato. “A Procuradoria-Geral do Município (...) fará a interposição de recurso ao TJMG assim que for publicada a decisão liminar que “suspendeu a rescisão” do contrato com a IBDS”, comunicou. Ou seja, a transição, que já se estende para além do previsto anteriormente, pode se prolongar ainda mais. 




Comentários
×