Quarta dose para maiores de 40 anos começa a ser aplicada hoje

Divinópolis tem 36 pacientes internados com suspeita de covid; nova morte é confirmada

 

 

Bruno Bueno

Divinópolis inicia hoje mais uma etapa da vacinação contra a covid-19. Desta vez, pessoas com 40 anos ou mais podem receber a 4ª dose da imunização. Os interessados precisam respeitar um intervalo mínimo de 120 dias do recebimento da 3ª. 

O segundo reforço, como também é conhecido, pode ser feito com Pfizer, AstraZeneca ou Janssen. O avanço foi possível graças ao envio de uma Nota Técnica do Ministério da Saúde na tarde de ontem.

 

Vacinação

A imunização acontece em todos os postos de saúde de Divinópolis, das 8h às 16h. Nas unidades dos bairros Belvedere, Planalto, Sagrada Família, Tietê e Ermida,das 18h às 21h30.

Não é necessário agendamento prévio. No ato da imunização, os interessados devem  apresentar documento de identificação com foto, CPF e cartão de vacinas.

 

Ministério da Saúde

O anúncio da 4ª dose para maiores de 40 anos foi feito na manhã de ontem por técnicos do Ministério da Saúde (MS). De acordo com a pasta, cerca de 120 milhões de pessoas aptas a tomar a segunda dose ou a dose de reforço das vacinas ainda não retornaram aos postos de vacinação de todo o país.

Aproximadamente 8 milhões de pessoas desta faixa etária que receberam a 3ª dose há 120 dias podem retornar aos postos de saúde. É o que explica o secretário nacional de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros.

— Além de expandirmos a população-alvo do segundo reforço, o motivo de estarmos aqui, hoje, é convidar a população brasileira a procurar um posto de vacinação e tomar sua dose —  relata.

De acordo com Medeiros, apenas 8,53% da população de 40 a 49 anos tomou a primeira dose de reforço. 

— Os estudos demonstram o efeito protetor que as vacinas têm nos casos de complicação, de agravamento por covid-19. Eles mostram que, independentemente do intervalo etário, as vacinas protegem de uma evolução mais grave da doença. Por isso, o Ministério da Saúde está convocando a população apta a tomar a segunda dose ou as doses de reforço a procurarem um posto de vacinação para termos uma população mais protegida, o que se refletirá tanto na qualidade de vida, quanto na economia — acrescenta.

 

Perigo

A diretora do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis, Cássia Rangel, demonstra preocupação com o grande número de pessoas com doses em atraso.

— Em todas as faixas etárias, temos um perfil muito parecido entre vacinados e não vacinados. Os vacinados [com ao menos duas doses de um imunizante] tiveram muito menos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave [SRAG] em relação aos não vacinados, o que demonstra claramente um efeito protetor das vacinas — disse.

O Ministério da Saúde também informou que, no início do ano, quando o país enfrentava a primeira onda da variante Ômicron, foi constatado que pessoas não vacinadas tinham até nove vezes mais chances de desenvolver manifestações graves da doença na comparação com pessoas imunizadas.

 

Morte

Em Divinópolis, a vacinação se mostra cada vez mais necessária. Conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), uma nova morte, a 711ª desde o início da pandemia, em decorrência de covid-19 foi confirmada no município.

Trata-se de uma mulher de 99 anos, portadora de doença de Alzheimer. Ela faleceu no último dia 17.

 

Números

O Executivo Municipal, por meio da Semusa, também divulgou ao Agora os dados de ocupação de leitos na cidade. Os números mostram 36 pacientes internados com suspeita de covid, sendo 10 no setor de UTI e 26 na enfermaria. O município dispunha de 90 leitos vazios até a tarde de ontem. 

No entanto, a situação preocupa em alguns hospitais. Na UPA Padre Roberto, por exemplo, há somente dois leitos de enfermaria adulto. Ambos estão ocupados. No setor SUS da enfermaria infantil do Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD) a situação é a mesma.

O CTI infantil do Hospital Santa Mônica registra 100% de ocupação. O setor de CTI adulto na área suplementar do CSSJD tem 200% dos leitos preenchidos. Os outros setores dos hospitais têm números razoáveis e não preocupam as autoridades.

O boletim epidemiológico não foi publicado pela Prefeitura na tarde de ontem. Logo, não há dados atualizados do número de casos confirmados, notificados, recuperados e descartados em Divinópolis.

 

Comentários
×