Qualificar para empregar

Qualificar para empregar 

Laiz Soares

O desemprego continua a ser um dos principais problemas em nosso país. Nos últimos anos, vimos milhares de empreendimentos fechando suas portas, vimos homens e mulheres perdendo empregos que já ocupavam há anos, vimos jovens sem perspectivas de começar suas trajetórias no mercado de trabalho. 

 

Em passos muito lentos, o quadro tem mostrado alguma melhora. Dados do início deste ano apontavam cerca de 12 milhões de desempregados e 38 milhões de brasileiros na informalidade. Já as pesquisas do trimestre encerrado em abril indicaram um contingente de 11,3 milhões de cidadãos em busca de uma vaga de emprego. 

 

A tímida diminuição desse número, ainda tão expressivo, fica ainda mais preocupante quando percebemos que o aumento no número de pessoas empregadas não têm resultado no aumento da renda das famílias brasileiras.

 

No dia 10 de junho, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou uma pesquisa que mostra que a renda média mensal do brasileiro caiu de R$ 1.450 em 2020 para R$ 1.353 em 2021. Segundo o órgão, é o menor valor da série histórica, iniciada em 2012, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

 

É urgente que transformemos de forma expressiva o número de empregados no Brasil. Milhares de brasileiros encontram-se hoje sem perspectiva no mercado de trabalho e mais da metade dos brasileiros sofrem por insegurança alimentar em algum nível. Hoje, 33,1 milhões de pessoas estão passando fome no Brasil.

 

Podemos modificar este cenário. Estudos mostram uma boa estratégia para diminuição do desemprego no Brasil: a qualificação profissional. 

 

Segundo o levantamento do Mapa do Trabalho Indústria, até 2025 o Brasil vai precisar qualificar nada mais nada menos que 9,6 milhões de pessoas, apenas em ocupações industriais. O documento ainda revela que a demanda virá principalmente do uso de novas tecnologias e de mudanças na cadeia produtiva.

 

Investir na capacitação de nossos jovens e no aperfeiçoamento e atualização de quem hoje já ocupa um espaço no mercado de trabalho é tarefa urgente. A ampliação de vagas de ensino técnico e a democratização de conhecimento em áreas de tecnologia podem transformar um cenário que hoje parece tão incerto. 



*Laiz Soares é formada em relações internacionais pela PUC Minas e pela Essca na França. Atuou liderando equipes e projetos no setor privado, em ONGs e no Congresso Nacional. Idealizadora da Escola de Líderes.

Email: [email protected]

Comentários
×