Protestos marcam luta por melhorias na rodovia MG-050

Principais cobranças são pela volta da iluminação retirada e passarela para pedestres no bairro Quintino

 

Matheus Augusto

Se os problemas se repetem, as cobranças também. O novo ano, próximo do fim de seu primeiro semestre, começou com uma fatalidade: a morte de uma mulher na MG-050, próximo à entrada do bairro Quintino, em Divinópolis. O caso, além da comoção, reforçou a pauta em defesa de melhorias na rodovia. 

Uma das principais lideranças políticas sobre o tema é a vereadora Ana Paula do Quintino (PSC), que carrega o bairro em seu nome. À reportagem, a vereadora destacou a importância de os órgãos públicos se unirem para atender às demandas.

— Temos que começar a dividir as responsabilidades, não podemos deixar só não mão de um — afirmou. 

A união tem ganhado forma, não apenas entre agentes políticos. Há cerca de três semanas, moradores do Quintino e família se reuniram, com a vereadora Ana Paula, para um pequeno movimento em cobrança de melhores condições na rodovia. 

As principais cobranças são por uma passarela de pedestres entre o bairro e o outro lado da via (em andamento), pela iluminação pública e por travessias e passeios. 

 

Pedestres

A cobrança pela passarela se intensificou em fevereiro deste ano, quando uma mulher, de 56 anos, morreu atropelada ao tentar atravessar a rodovia. Na mesma semana, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) confirmou a instalação de uma passarela de pedestres no local. Ana Paula esteve em reunião ao lado do deputado estadual Cleitinho Azevedo (PSC). O trâmite esperado é de 120 dias, ou seja, até  o próximo mês. O investimento será de R$ 1,5 milhão, por meio de um aditivo feito no contrato com a concessionária. 

A ausência de uma passarela para a travessia dos pedestres é classificada pela vereadora como “irresponsabilidade”. 

— Hoje, o pedestre anda misturado com os carros. Como é feita uma obra dessa envergadura e fica por isso mesmo? — criticou Ana Paula. 

Para a parlamentar, houve falta de planejamento na execução do projeto, omitindo a necessidade de segurança para os pedestres. Enquanto a passarela não fica pronta, a alternativa é confiar na fé. 

— Rezamos muito para que não aconteça nada — disse. 

A cobrança não é nova. No entanto, a solução segue em andamento. Segundo a edil, a cidade carece de força política.

— Infelizmente, a gente não tem representatividade política, é preciso que as pessoas revejam isso — avaliou. 

Outras duas demandas também são cobradas pela vereadora: um passeio da entrada do Quintino até a Polícia Rodoviária e a iluminação da região.

 — A iluminação já existia lá, por que não voltou? — questionou.

Por fim, Ana Paula do Quintino expressou preocupação com a obra no bairro Lagoa dos Mandarins, onde há dois bairros opostos, um de cada lado da rodovia, e com escolas na região.

— Como as crianças vão para a escola? Fica a pergunta — refletiu.

 

Reivindicação constante

A cobrança na tribuna não é apenas dos vereadores, mas também dos cidadãos. Duas semanas atrás, Edson Chaves Junior, morador do bairro Serra Verde, foi até a Câmara pedir apoio ao Legislativo. O tema principal de sua cobrança foi a falta de iluminação no anel rodoviário.  

— O anel rodoviário, que já foi muito bem iluminado, hoje está às escuras, esquecido e desleixado — criticou.

A melhoria, classificada por ele como “patrimônio da cidade”, foi retirada para as obras da AB Nascentes das Gerais. 

O morador questiona a demora para o retorno da iluminação, causa de “acidentes e mortes, especialmente no período noturno”, afirma. Além disso, a ausência dos equipamentos, por vezes, leva os motoristas a errarem os pontos de entrada aos bairros.

— A resposta é sempre a mesma: que vai voltar após a conclusão completa das obras — relatou. 

A principal preocupação de Edson é com a falta de perspectiva de prazos, uma vez que, em determinados trechos, as obras “estão paradas”.

— Faço esse apelo em nome de Divinópolis e moradores no entorno da rodovia. Essa escuridão causa acidentes graves e tira vidas, como os recentes na entrada do Quintino — cobrou.

Ana Paula prometeu continuar as cobranças.

— Eles [Nascentes] encontraram com iluminação e tem que voltar — afirmou.

Na oportunidade, o líder do Executivo na Câmara, Edsom Sousa (Cidadania), confirmou que os postos estão armazenados no pátio da Prefeitura. 

— Estão guardados para que, quando acabar as intervenções, sejam colocados novamente — garantiu. 

Em nota, a concessionária informou que, "a pedido da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade  (Seinfra), enviou um orçamento para construção de passarela nas imediações do bairro Quintino, na MG 050, em Divinópolis, ao órgão”.

— Sobre a iluminação pública, informamos que esta modalidade de obra não é prevista no contrato de  concessão rodoviária — acrescentou.  

A rodovia será tema de discussão hoje, em audiência na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Coment√°rios
×