Primavera, a cultura do florescimento e do enamorar

 

A primavera é a estação do ano associada ao florescimento, iniciada no hemisfério Sul no equinócio de setembro, com fim no solstício de dezembro (primavera austral). Já no hemisfério norte, a primavera tem início no equinócio de março e termina no solstício de junho (primavera boreal). A primavera é a estação mais romântica, a estação dos enamorados, do romantismo, e este que vos escreve, um romântico assumido, não nega que é a estação preferida do ano. 

As fábulas e histórias românticas se passam, em sua maior parte, na primavera, o que também acontece nos livros. O canto dos pássaros, os intensos raios de sol e o colorido das flores anunciam que a vida venceu a morte. É hora de abrir as janelas e desarmar os guarda-chuvas, porque a primavera chegou nos convidando a dizer sim à beleza, ao amor e ao florescimento!

A natureza, que estava adormecida no silêncio do inverno, acordou de novo, trazendo para fora o que tem de melhor em forma de flores, que se tornarão frutos para dar continuidade ao ciclo da vida. A diversidade de cores e flores enfeita o universo e traz um tom de leveza também para a nossa alma. É tempo de florescer de novo!

O equinócio é definido pela Astronomia como o instante em que o Sol, em sua órbita aparente (vista da Terra), cruza o equador celeste (a linha do equador terrestre projetada na esfera celeste), fazendo com que ambos os hemisférios da Terra sejam igualmente iluminados pelo Sol. A palavra “equinócio”, em latim, traz o seguinte significado: "aequus" (igual) e "nox" (noite).

A contagem do tempo pelos primeiros povos era baseada nos movimentos do Sol e da Lua. O modo como o tempo passou a ser contado também se diferenciou ao longo das civilizações. Diversos calendários foram criados, alguns exclusivamente lunares, outros lunissolares (baseados nos movimentos do sol e da lua, no segundo caso). No mundo ocidental, o uso do calendário solar também traz resquícios do antigo calendário lunar, porque os 12 meses são originários das lunações. 

A palavra primavera é derivada do latim "primo vere" e significa "primeiro verão". No passado, o ano era dividido em dois períodos: a estação mais quente, celebrada pelo florescimento, e a estação mais fria, celebrada pela colheita.

Deixe seu dia “primevarar”, permita que o canto dos pássaros e o vento do amor cheguem em sua vida - se já estiverem presentes, aproveite, cultive e faça fincar raízes fortes, pois é o momento de ser feliz, hoje, agora!



Alguns trechos de frases a respeito do tema abordado:

 

Do mesmo modo que no início da primavera todas as folhas têm a mesma cor e quase a mesma forma, nós também, na nossa tenra infância, somos todos semelhantes e, portanto, perfeitamente harmonizados.

(Arthur Schopenhauer)



Um raio de sol a brilhar

Um pássaro cedo a cantar

Uma flor a desabrochar 

É o mês do tal do enamorar 

E a flecha que o Querubim lançar 

Quiçá acertar, 

Naquela que meu caminho cruzar

Uma história se  iniciar

E enfim “primaverar”

(Welber Tonhá)

 

Há uma primavera em cada vida: é preciso cantá-la assim florida, pois, se Deus nos deu voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder, para me encontrar.

(Florbela Espanca)

 

E assim como a primavera, eu me deixei cortar para vir mais forte...

(Clarice Lispector)

 

Não se pode dizer para a primavera: tomara que chegue logo e dure bastante.

Pode-se apenas dizer: venha, me abençoe com sua esperança, e fique o máximo de tempo que puder.

(Paulo Coelho)

 

Aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira.

(Cecília Meireles)

 

Se a rosa tivesse outro nome, ainda assim teria o mesmo perfume.

(William Shakespeare)



Continuamos a falar um pouco sobre os prefeitos na história de nossa cidade. Agradeço o acesso a essa pesquisa ao amigo Marcos Crispim, do Arquivo Público de Divinópolis.

 

Eles Conduziram Divinópolis (Cronologia / Biografia)

14ª gestão - Américo Andrade de Magalhães Gomes - Prefeito nomeado, sem vice (16/11/1945 a 19/02/1946).

Era engenheiro do estado e exerceu o cargo de prefeito esporadicamente, substituindo Antônio Gonçalves de Mattos, que se licenciou para tratamento de varizes.

Américo Andrade de Magalhães Gomes, natural de Bias Fortes/MG, município de Barbacena. Filho de Geraldo Leite de Magalhães Gomes e Pompéia Noêmia Andrade de Magalhães, nascido em 12/10/1897 e falecido em 08/12/1946, aos 49 anos, devido a uma infecção de meningite tuberculose, na sua residência, na rua Grão Pará, 466. Sepultado no cemitério do Bonfim-Carneiro/BH. Fez os cursos primário e ginasial na cidade de Bananal - SP onde seu pai foi juiz de direito; formou-se em engenharia pela Escola de Engenharia de Minas, casou-se com Aracy Lott Magalhães Gomes e não tiveram filhos.

 

Tem pauta para sobre a cultura? Envie para [email protected]

Welber Tonhá e Silva 

Imortal da Academia Divinopolitana de Letras, cadeira nº 09

Historiador, escritor, pesquisador, fotógrafo e fazedor cultural.

Instagram: @welbertonha

Comentários
×