Presídios da região lideram produção de alimentos e Minas

Projetos de hortas nas unidades prisionais garantem remissão de pena aos presos que trabalham nos projetos

 

Da Redação 

Projetos implantados dentro de presídios são capazes de mudar a realidade do detento e garantir a ele mais dignidade. No entanto, alguns trabalhos desenvolvidos em unidades prisionais mudam não só a perspectiva do preso, mas também da comunidade. Este é o caso dos presídios de Piumhi e Pará de Minas no Centro-Oeste, que há mais de 10 anos trabalham com o plantio de hortaliças, legumes  e frutas dentro das unidades. A produção é doada para instituições carentes e alimentam pessoas em vulnerabilidade social. 

Toneladas

Dados da Secretaria de Justiça  e Segurança Pública (Sejusp), mostram que em todo estado somente neste ano, já saíram dos presídios mais de 20 toneladas de alimentos. A pasta disse ainda que as duas unidades do Centro-Oeste, Piumhi e Pará de Minas, lideram o ranking das que mais produzem em Minas Gerais. 

Ao todo, 44 unidades prisionais administradas pelo Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), produzem diversos tipos de alimentos em hortas instaladas intramuros. 

No cultivo estão as hortaliças, verduras, legumes e frutas, que constantemente saem das unidades prisionais de Minas Gerais diretamente para o prato de centenas de pessoas, atendidas por instituições carentes beneficiadas. Mais de 800 locais são atendidos com os alimentos.

 

Volume maior 

A produção de alimentos dentro do sistema prisional mineiro tem aumentado de forma significativa. Em comparação aos cinco primeiros meses de 2021, o volume de 2022 mais que dobrou. No mesmo período do ano passado, foram produzidos e doados 8.998 kg; neste ano, o número chegou a 22.497 kg entre janeiro e maio.

 

Dinâmica

O plantio e o cultivo dos alimentos possuem muitas vantagens, como o baixo custo de produção e manutenção. Também há disponibilidade de alimentos orgânicos (não se usa agrotóxicos nas hortas) e aproveitamento de espaços vazios e ociosos das unidades prisionais. Além da profissionalização dos presos, um dos aspectos mais importantes é a execução do trabalho social, pois por meio das doações muitas instituições de caridade conseguem reforçar o caixa e apoiar pessoas carentes.

 

Segundo o diretor-geral do Depen-MG, Rodrigo Machado, a produção e a doação de alimentos é umas das entregas mais importantes do sistema prisional mineiro e beneficia todos os envolvidos.

— Essa é a nova filosofia de trabalho da Polícia Penal, uma polícia próxima à sociedade. São entregas realizadas por meio do trabalho dos presos — ressalta. 

 

Parcerias

Em algumas cidades, a produção conta com o apoio de organizações ligadas ao serviço agrícola, como a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater–MG) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Essas instituições capacitam os presos e aperfeiçoam a produção, com orientações sobre o plantio.

 

Comentários
×