Prefeitura diz que casos de varíola dos macacos ainda não preocupam

Situação está “estabilizada”, afirma Executivo; Divinópolis já tem dois registros da doença

 

 

Bruno Bueno 

Divinópolis confirmou ontem os primeiros dois casos de varíola dos macacos. Ambos os infectados são homens, de 30 e 38 anos. Um é de Bom Despacho e está internado na cidade. O outro é residente do município e está em isolamento domiciliar. Eles passam bem.

Mesmo com as ocorrências, a Prefeitura de Divinópolis garantiu ontem ao Agora que a situação no município está estabilizada: “Ainda não preocupa. Por enquanto é apenas monitoramento”, disse à reportagem.

Divinópolis e região

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), 20 casos da doença já foram notificados em Divinópolis, sendo 13 em homens e sete em mulheres. Cerca de 18 testes foram realizados.

Além dos 2 casos confirmados, outros 14 foram descartados. Dois estão em análise. 

— Estamos realizando orientações, via equipe da Vigilância em Saúde, e monitoramento dos casos — explicou a Prefeitura em nota.

A região Centro-Oeste já tinha outros dois casos confirmados. O primeiro em Bom Despacho. Trata-se de um homem de 42 anos que desenvolveu sintomas leves da doença e passa bem. O segundo foi registrado em Nova Serrana. A cidade não divulgou informações adicionais sobre o paciente.

Minas

O Agora teve acesso aos números da doença em Minas. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), 399 casos de Monkeypox foram confirmados por exames laboratoriais. Outros 902 casos foram descartados e há 933 em investigação.

2.234 notificações foram contabilizadas. Além disso, três casos registrados no Estado são de residentes no exterior que estavam em Minas. Até o momento, uma morte foi registrada.

— Um caso confirmado que estava em acompanhamento hospitalar para monitoramento de outras condições clínicas graves evoluiu para óbito em 28/07. Trata-se de um paciente de 41 anos, do sexo masculino, residente em Belo Horizonte e natural de Pará de Minas — detalhou.

Atualmente, dois pacientes que testaram positivo para a doença encontram-se em internação hospitalar por necessidades clínicas. 

— Os positivos estão sendo monitorados pelas Secretarias Municipais. Até o momento, apenas o município de Belo Horizonte apresenta transmissão comunitária — disse. 

98,5% dos casos foram confirmados em homens. 

Transmissão

A varíola dos macacos é uma doença viral rara transmitida pelo contato próximo com uma pessoa infectada. A transmissão pode ocorrer por contato com o vírus, através de um animal, pessoa ou material infectado. Ainda não se sabe qual animal mantém o vírus na natureza.

Além disso, o contato pode ser feito de pessoa para pessoa, por meio da transmissão direta dos fluídos corporais como sangue e pus, secreções respiratórias ou feridas de uma pessoa infectada, durante o contato íntimo.

 

Estudos comprovam que a transmissão também pode ocorrer por intermédio de materiais contaminados que tocaram fluidos corporais ou feridas, como roupas ou lençóis. A transmissibilidade da mãe para o feto através da placenta e por meio de úlceras, lesões ou feridas na boca também podem ser infecciosas.

Comentários
×