Prefeito garante tarifa de ônibus no valor atual

Consórcio destaca que sugestão de R$ 6,09 foi proposta por estudo interno da Prefeitura

Da Redação

Para o prefeito Gleidson Azevedo (PSC) a questão já está definida: não haverá aumento do valor do transporte coletivo de passageiros em Divinópolis. Em estudo técnico, a sugestão do Conselho Municipal de Trânsito (Comutran) sugeriu o valor de R$ 6,09 como reajuste. Desde o início, o chefe do Executivo tem indicado a negativa do aumento. Em live nesta terça-feira, 21, ele reforçou, pelas redes sociais, que não cederá, e ontem confirmou ao Agora. 

Segundo o prefeito, o aumento será concedido apenas por força maior. 

— Não terá aumento em 2022. Se eles quiserem, vão para a Justiça — reforçou.

 

Posicionamento

Em nota, o Consórcio reforçou que a proposta de R$ 6,09 foi apresentada pelo Comutran, com base em dados técnicos e em razão da "total ausência de medidas que possam amenizar os impactos negativos do aumento do diesel na prestação dos serviços".

O grupo explica, ainda, que a gratuidade dos idosos e das pessoas com deficiência é paga pelos passageiros, que também arcam com 5% do Imposto Sobre Serviços (ISS), cobrado pela Prefeitura.

— É urgente que a Prefeitura trate o sistema de transporte público, que atende a sua população com responsabilidade e seriedade, para que ele possa transportar centenas de pessoas para suas casas e seus trabalhos — encerra a nota. 

 

Crise

O setor de transporte coletivo, em geral, cita prejuízos causados pela defasagem entre o valor cobrado e os gastos pelas prestadoras do serviço. Dentre as diferenças estão o aumento do diesel, a queda no número de passageiros, especialmente durante as ondas mais rígidas do Minas Consciente, a falta de subsídios e outros fatores.

 

Estudo

Membros do Conselho Municipal de Trânsito (Comutran) reuniram-se na quinta-feira, 16, com representantes da Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Segurança Pública (Settrans), para deliberar sobre o reajuste da tarifa de ônibus. Após a análise da planilha, o novo valor tarifário aprovado pelos membros do Comutran foi de R$ 6,09. Oito membros votaram a favor e três contra a análise da planilha. 

Durante a reunião, o prefeito publicou, em suas redes sociais, o fim de uma transmissão ao vivo na Settrans. Ele reforçou que o preço apenas faz parte do estudo, mas que não aprovará tal valor. 

— Entra na Justiça — afirmou.

O estudo tarifário examina todos os índices que afetam diretamente no custo final da tarifa, como: preços dos insumos, dados do sistema como quilometragem, quantidade de passageiros, projeção de reajuste salarial dos condutores de ônibus, dentre outros, e se comprovem por notas fiscais. 

 

Contexto

Em 3 fevereiro de 2020, o último e mais recente reajuste na tarifa do transporte coletivo de passageiros entrava em vigor. O penúltimo reajuste havia sido dois anos antes, em janeiro de 2018. No ano passado, o acordo foi divulgado como um dos menores reajustes concedidos nos últimos 20 anos, com tarifas menores do que cidades do mesmo porte. Durante as negociações, a Prefeitura exigiu, ainda, a renovação gradual da frota. 

Importante ressaltar que o Conselho Municipal de Trânsito, responsável pelo estudo dos índices, sugeriu, em dezembro de 2019, a correção de até R$ 4,22 para o valor pago em dinheiro. Após dois meses de negociação, esse valor ficou definido em R$ 4,05. No cartão, o preço é de R$ 3,65. 

Comentários
×