Preços sobem e consumo nos lares segue em alta

Pesquisar diferentes marcas e pontos de venda segue como uma das melhores alternativas para o consumidor

 

Da Redação

Mesmo com as altas em itens de primeira necessidade, especialmente no que tange à alimentação, de acordo com o levantamento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o consumo nos lares brasileiros encerrou em julho em alta de 7,75% em relação ao mês anterior. Ao longo do ano, o consumo nos lares tem alta de 2,57%.

Estado

Em Minas Gerais, segundo o levantamento da Associação Mineira de Supermercados (Amis), o consumo das famílias apresentou queda gradativa. Aumentos como o dos ovos, óleo, carnes e outros têm afetado diretamente o consumidor mineiro. Assim apurou o Índice de Consumo dos Lares Mineiros, em pesquisa da Amis, que mede a variação do consumo no setor em todo o estado, que apontou queda média de -4,40%.

— Os supermercadistas, assim como os consumidores, têm sido pressionados pelos custos dos produtos e de operação. É preciso atenção contínua para conter os gastos mais elevados — explica o presidente-executivo da Amis, Antônio Claret Nametala. 

Para o gerente de loja de supermercado Walter Wagner a expectativa é de otimismo.

— Mas as tendências já são de números positivos para os próximos meses, visto a queda de preços em alguns itens como o leite e seus derivados, hortifrútis e outros itens que sempre estão com ótimas ofertas durante o mês. E com a expectativa das vendas de fim de ano, com certeza o consumo deve aumentar a partir do próximo mês — avaliou 

Pesquisar

Pesquisar sempre foi uma ótima arma para enfrentar as oscilações dos preços nas gôndolas dos supermercados.

— Pesquisar é um fator positivo para que o consumidor faça uma ótima compra. Seja pesquisa no sacolão do bairro, nas lojas de supermercados ou em qualquer outro ponto de venda, ela sempre vai ao encontro do bolso do consumidor — avalia o economista Leandro Maia.

Para a dona de casa Jacira Alves, a pesquisa sempre está presente na busca por preços mais baixos.

— Hoje, por exemplo, tem leite de caixinha a R$ 4,89, basta procurar. E, falando em leite, a muçarela também caiu de preço, ela chegou a R$ 62 e hoje você encontra a R$ 38. O litro de óleo também está na promoção, a R$ 7,99. Os preços aos poucos vão voltando ao que eram antes. Nas carnes também têm boas ofertas, como o quilo do acém a R$ 28,90. Pesquisar sempre é a melhor opção — disse. 

 

 

Coment√°rios
×