Preços dos ovos de Páscoa variam até 65%

Pressão inflacionária dos últimos meses e condições climáticas contribuíram para a elevação dos valores neste ano

 

Da Redação

A Semana Santa, que começou no domingo, chega carregada de otimismo pelos empresários. A semana que antecede a Páscoa tem forte apelo comercial para determinados segmentos, em especial o alimentício, nas linhas de chocolates e peixarias. O setor espera vendas maiores em relação aos dois anos anteriores, quando ainda o país sofria com restrições mais rígidas no enfrentamento da pandemia. 

— O consumidor está mudando o hábito em relação às compras de ovos de Páscoa. Neste ano, por exemplo, esperamos uma queda de 20% nas vendas dos ovos, mas em compensação um aumento em torno de 30% nas vendas de similares como caixas de bombons, tabletes de chocolates e outros. As vendas nas linhas de chocolates devem ficar positivas em torno de 15 a 20% — avalia o gerente de loja Sérgio Antônio.

A reação do comércio e a realização de ações promocionais nas lojas são os principais motivos apontados para justificar a alta expectativa.

 

Alternativas

O que não faltam são opções. Ontem, os preços das caixas de bombons variavam entre R$ 8,49 e R$ 9,89. As barras de chocolates custavam a partir de R$ 3,99.

— Vou levar uma caixa de bombons, pois a diferença está muito grande. E como lá em casa as crianças estão crescidas, elas entenderão os motivos, o que não pode faltar é o chocolate — diz a aposentada Madalena Vasconcelos.

 

Chocolate doce, preço salgado

Para ajudar o consumidor, uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômico Sociais (Nepes) da Faculdade Una Divinópolis concluiu que os preços dos ovos de chocolate podem variar até 65% entre marcas e estabelecimentos da cidade. Foram consultados os valores de 16 ovos de chocolate de diferentes tamanhos, comercializados em cinco estabelecimentos diferentes. 

O professor e coordenador da pesquisa, Wagner Almeida, afirma que, comparado a 2021, a Páscoa neste ano estará mais cara para os consumidores. De acordo com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), os ovos de Páscoa estão em média 15% mais caros e isso se deve à forte pressão inflacionária.

— Em 2022, dentre os fatores que impactaram para que o ovo de chocolate encarecer, podemos considerar a alta no preço do açúcar, do leite e do cacau. Esses insumos foram prejudicados pelas questões climáticas, tanto pelas geadas de inverno quanto pelo período de seca. Além disso, temos que considerar a variação do dólar e do peso das contratações e dos impostos — explica o acadêmico.

O professor destaca que a produção dos ovos de páscoa é algo mais complexo para os fabricantes, pois envolve custos com embalagem, armazenamento e logística diferenciados.

— Diante dessa alta visível de preços, a compra do ovo de chocolate pode se tornar inviável para alguns consumidores, pois, apesar de ser um produto muito desejado, não é um produto de primeira necessidade. Com isso, valem algumas dicas para tentar não deixar faltar o tradicional ovo de chocolate no domingo de Páscoa, como substituir o tradicional ovo por tamanhos menores ou pelas barras ou caixas de chocolate, que são mais baratas. Optar por marcas próprias dos estabelecimentos que tendem a ter um preço menor em relação às marcas tradicionais ou até mesmo optar por produzir em casa seus próprios ovos — recomenda.

Comentários
×