Preço do frango tem aumento significativo

Altos custos da produção influenciam diretamente no resultado

 

 

Da Redação

A falta da carne bovina nas refeições de boa parte dos brasileiros é uma realidade desde o ano passado, devido aos constantes aumentos de preços. Agora,  a alta chega também à carne de frango, que era a opção natural do consumidor na hora de substituir a carne vermelha. E para quem também via nos ovos uma ótima opção, o aumento foi de 45% em fevereiro. Os três principais fatores que levaram à elevação foram a alta dos custos de produção, redução na oferta e aproximação da Quaresma, período tradicionalmente de maior valorização do produto.

 

Preços

A reportagem passou por três lojas de supermercados  de redes diferentes ontem e verificou uma diferença de até 14% entre alguns itens pesquisados. Numa delas, o frango congelado era comercializado a R$ 10,98, a coxa e sobrecoxa, resfriada, a R$ 9,48, o peito de frango, também resfriado, era vendido a R$ 14,98. Já a asinha saía por R$ 13,98, coração a R$ 29,90, moela e a R$ 13,98, todos resfriados. O peito congelado estava custa R$ 8,98, o filé, R$ 13,98 e a coxa e sobrecoxa,  R$ 7,99. Já em outra loja,  coxa e sobrecoxa estavam sendo vendidas a R$ 8,90, o peito a R$ 11,90, a asa saía por R$ 15,98, o frango,  R$ 7,99, sendo todos os itens congelados. O filé de peito de frango, também congelado, variava de R$ 14,98 a R$ 19,98, conforme a marca. No terceiro estabelecimento, o frango era vendido a R$ 8,99, a asinha a R$ 16,99, o filé a R$ 21,90, o peito, R$ 12,98, também  congelados.  

— A alta do preço dos grãos, da soja, milho e trigo, itens essenciais na produção da ração que alimenta esses animais, é a principal motivação da alta dos preços no segmento. Isso somado ao aumento do diesel, da energia, da guerra entre Rússia e Ucrânia, que são dois dos maiores exportadores mundiais, só poderia afetar os preços. Com menos oferta e demanda mantida, o preço se eleva e quem paga a conta é o consumidor — disse o supervisor de uma das lojas, Robson Alves.

 

Abatedouros

A reportagem também conversou com o gerente e proprietário de alguns abatedouros na cidade. A realidade anda assustando os mais experientes no ramo.

— Há 15 dias eu comprava o frango a R$ 4,75, hoje, sai a R$ 6,30, um aumento de 32%. Só na semana passada ele subiu umas três vezes. E temos ainda que competir, fornecemos para duas feiras da cidade, com o frango congelado, que está muito mais barato que o resfriado. Preços esses impactados pelo aumento do diesel, dos insumos e outros fatos que implicam no preço final ao consumidor — avaliou o gerente de um abatedouro, Wagner Porfiro dos Santos.

Já o proprietário de um tradicional abatedouro da cidade, Antônio Luiz da Cruz, avalia que a situação tem que melhorar.

— O frango teve uma alta de 10% na semana passada e estamos esperando os preços desta semana, que devem ter também um pequeno aumento de centavos no quilo. Mas esperamos por dias melhores — disse o proprietário.

Comentários
×