Preço do diesel na cidade caiu 6,9% em um mês

Sindicato não descartada a retomada das paralisações ainda neste período pré-eleitoral

 

Jorge Guimarães 

Depois dos preços da gasolina e do etanol, a redução, enfim, chegou ao diesel, no início de agosto, para aliviar  o bolso dos caminhoneiros, que estavam sem saber se continuavam nas estradas ou não. Neste sentido, nestes  30 dias, os preços se equalizaram à nova proposta da Petrobras, no quesito de formular o preço final nas refinarias. 

Pesquisa

Na época, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP), realizada em 10 postos de combustíveis em Divinópolis, o preço médio do diesel S10 estava em R$ 7,50, o mais baixo encontrado foi R$ 7,19 e o mais alto, R$ 7,89. 

Ontem, a reportagem realizou um levantamento em sete pontos de vendas e verificou que o menor preço estava em R$ 6,69 e o maior em R$ 7,19. Levando em consideração o menor preço comercializado no início do mês de agosto, R$ 7,19, para o atual que ficou em R$ 6,69, a queda foi de 6,9%. 

— Estamos trabalhando com a menor margem possível de lucro no diesel. Nosso preço do diesel S10 hoje está R$ 6,74. E conforme a distribuidora vai alterando suas estratégias de vendas, vamos seguindo aqui — disse o gerente de um ponto de venda — Fabricio Alexandre Fontes. 

Sindicato

 

Já o Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque) cobra a redução no preço, conforme prometido pelo governo. Isso porque entrou em vigor na última sexta-feira, 2, o novo preço da gasolina nas refinarias de petróleo da Petrobras. Conforme anunciado pela petroleira, o preço do litro do combustível foi reduzido em R$ 0,25. E o preço do óleo diesel, utilizado na maior parte do transporte rodoviário de cargas e de passageiros, como no transporte de combustíveis e de derivados de petróleo, por sua vez, não teve alteração.

Para o presidente do Sindtanque-MG, Irani Gomes, o sentimento entre os transportadores do setor é de frustração e indignação, uma vez que o governo federal vinha anunciando uma nova redução do preço do diesel nas refinarias na semana passada.

— Mesmo com as reduções no preço do diesel realizadas nas últimas semanas, o que se esperava do governo federal e da Petrobras era uma nova redução, mais significativa, já que o preço do diesel continua nas alturas, tendo ultrapassado o preço da própria gasolina este ano, como nunca havia ocorrido — disse. 

Segundo Irani, diante da frustração, os tanqueiros de Minas e de estados vizinhos têm se mantido mobilizados.

— Se, nos próximos dias, o governo e a Petrobras não se manifestarem sobre uma nova redução do valor do diesel, não está descartada a retomada das paralisações, ainda neste período pré-eleitoral — lamenta.

Comentários
×