Preço do diesel está mais alto do que o da gasolina

Sindicato realiza reunião virtual para debater a atual situação das transportadoras

 

Por Jorge Guimarães 

Depois do último aumento dos combustíveis, o óleo diesel subiu 14,26%, enquanto a gasolina teve alta de 5,18%. O preço do diesel nas bombas, na cidade, ficou acima da gasolina pela primeira vez na história de Minas Gerais. A situação, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro), não é exclusiva em Divinópolis e se repete em outros municípios. 

 

Divinópolis

Em Divinópolis, conforme o levantamento realizado, na última semana, em 10 pontos de vendas, pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), o preço médio da gasolina ficou em R$ 7,47, o mais baixo encontrado foi de R$ 7,29 e o mais alto em R$ 7,83. Já o preço médio do diesel S 10 encontrado foi de R$ 7,58, o mais barato em R$ 7,38 e o mais caro de R$ 8,09.

— É a primeira vez aqui que o preço do diesel fica acima da gasolina. Neste fim de semana fizemos uma promoção no preço da gasolina e ainda estamos vendendo por R$ 729, sendo que o preço normal, que deve voltar nos próximos dias é de R$ 7,39. Nosso diesel está sendo comercializado a R$ 7,79  — disse a gerente de um ponto de venda, Maria de Fátima Oliveira.

 

Pesquisa

A reportagem visitou três postos de combustíveis em lugares alternados da cidade e verificou que o preço médio está na casa dos R$ 7,39 para a gasolina e R$ 7,60 para o diesel.

— A pesquisa de preços é a melhor arma para o consumidor. Os preços são livres e cada distribuidora tem seu plano de vendas — avaliou o economista, Leandro Maia.

 

Preços 

A atual diferença de preços que levou o diesel a ficar acima da gasolina é que na composição da gasolina se leva etanol, que está em baixa, e no diesel, não.

— Realmente nunca houve, na cidade, o preço do diesel ultrapassar o da gasolina. O que acontece é que a gasolina leva etanol em sua composição, e ele está em baixa. No caso do diesel, que é um combustível líquido derivado de petróleo, o seu preço segue as cotações internacionais que estão em alta — explicou o empresário, Eduardo Print Jr. 

 

Sindicato

Em resposta aos últimos aumentos dos combustíveis, o Sindicato dos Transportadores de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Sindtanque-MG) realizou, na última semana, uma assembleia virtual dos combustíveis.

Além de seus associados, a reunião contou com a participação de dirigentes de entidades representativas dos tanqueiros de São Paulo, Rio de Janeiro, Centro-Oeste, Bahia e Espírito Santo.

Para o presidente do Sindtanque-MG, Irani Gomes, a luta pela redução dos preços dos combustíveis chegou a um momento crucial não só para os transportadores, mas a todos os brasileiros. 

— Nossa luta é pela sobrevivência. Se essa política da Paridade de Preço de Importação (PPI), adotada pela Petrobras não for revista, poucas transportadoras terão condições de manter suas atividades. E se o transportador quebrar, o país vai parar — alerta.

 

Comentários
×