Preço de frutas começa a baixar após alta provocada pelas chuvas

Produtos de época são opções mais baratas e saudáveis para os consumidores

 

Da Redação

Os preços da banana prata e do limão tahiti caíram mais de 20% nos primeiros dias de março, em comparação ao  mesmo período de fevereiro. De acordo com a Seção de Informações de Mercado da CeasaMinas, o maior distribuidor de hortifrútis do estado, as lavouras desses produtos já estão começando a se recuperar das chuvas intensas registradas em Minas Gerais no fim de 2021 e início de 2022.

O quilo da banana prata no atacado da CeasaMinas caiu de R$ 4,09 para R$ 3,24. Já o do limão de R$ 2,06 para R$ 1,63. Entre as hortaliças, a abobrinha italiana se recupera do período chuvoso e teve o preço reduzido de R$ 3,90 para R$ 2,14 (-45,1%). O quiabo é outro produto que também está mais barato. O quilo no atacado caiu de R$ 6,11 para R$ 3,96.

Mas alguns produtos ainda seguem enfrentando os problemas causados pelas chuvas de verão. É o caso, por exemplo, do repolho, que subiu 79,6% nos primeiros 15 dias de março em comparação com o mesmo período de fevereiro. O quilo saiu de R$ 1,81 para R$ 3,25.

Outro exemplo é a cenoura. O preço subiu 27%, passando de R$ 4,93 para R$ 6,29 o quilo no atacado.

 

Preços 

Em Divinópolis, em um tradicional sacolão, as frutas também fazem parte do preço único e saem a R$ 5,99 o quilo.

— Aqui, as frutas podem ser adquiridas juntamente com as verduras e tudo sai ao preço de R$ 5,99 o quilo. Estamos notando que aos poucos algumas delas estão com seus preços voltando a níveis que eram há alguns meses — disse a atendente Rosália Vaz.  

Já em um supermercado, o quilo da banana prata estava a R$ 2,99 e o limão tahiti era vendido a R$ 1,99. A laranja saía por R$ 3,49, o melão amarelo a R$ 8,99 e a manga Palmer, R$ 4,99. A unidade do abacaxi era vendida a R$ 4,99 e a do mamão formosa a R$ 6,99.

— Só compro frutas em promoção e ainda assim depois de muita pesquisa. Mas não fico sem frutas em casa, ainda mais agora, com a proximidade do frio — diz a aposentada Elza Assis Oliveira.

 

Cardápio

As frutas também fazem parte de alguns cardápios em restaurantes tradicionais da cidade.

— Uma de nossas guarnições mais tradicionais dentro do cardápio é a salada verde com frutas, as quais sempre seguimos uma ordem de troca para não ficar repetitiva. Mas a manga e o tomate cereja não podem faltar na receita. Temos fornecedores diretos, o que nos permite também uma boa variação e um custo um pouco mais baixo também nos sucos da casa — avaliou o proprietário de tradicional cervejaria,  Rolando Meneses. 

 

Frutas de época

Para o gerente de loja Marcelo Wagner, o bom é o consumidor se acostumar a comprar frutas de época, pois são mais em conta e com um mix muito variado de itens por mês. 

— Elas são opções mais baratas e saudáveis para os consumidores. Com o crescimento da oferta nos períodos de safra de algumas frutas, a tendência é  os preços caírem, e consumir produtos de época passa ser uma ótima opção — avalia Wagner.  

Comentários
×