Preço da gasolina volta a subir após 15 semanas de queda, mostra ANP

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, média do litro do combustível passou de R$ 4,79 para R$ 4,86

Da Redação

Após 15 semanas consecutivas de queda, o preço da gasolina voltou a subir no Brasil na última semana. Segundo pesquisa divulgada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nesta segunda-feira (17), o valor médio do litro passou de R$ 4,79, entre os dias 2 e 8 de outubro, para R$ 4,86 na semana entre 9 e 15 deste mês, uma alta de R$ 0,07 ou quase 1,5%.

A gasolina passou por um período de baixa após quatro reduções anunciadas pela Petrobras, sendo que a últiadelas passoui a valer em setembro. O combustível também sofreu os efeitos da limitação da alíquota do ICMS nos estados, que entrou em vigor em julho, após o pico de R$ 7,39 em junho.

Internacionalmente, o petróleo passa por uma valorização e a Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom) aponta uma defasagem nos peços nacionais.

Os dados da entidade mostram que a gasolina no Brasil, nesta segunda-feira, era comercializada, em média, R$ 0,30 mais barata do que no mercado internacional. No caso do diesel, a defasagem era ainda maior: de R$ 0,70.

Para Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBI), o aumento da gasolina pode ter duas explicações.

“No Brasil, o preço da bomba é livre. O dono do posto pode achar que a economia melhorou, que as pessoas estão com uma situação melhor e quer melhorar a margem dele. Aí vai lá e aumenta. Outra possibilidade é que o dono do posto pode estar imaginando que a Petrobras vai aumentar o preço porque está com defasagem. Aí já aumenta para se preparar para comprar”, pontuou.

O boletim atualizado da ANP mostra que o preço médio do diesel comum (S500) foi de R$ 6,51 entre os dias 8 e 15 deste mês, após ser encontrado a R$ 6,52 na semana anterior. Já o diesel S10 registra uma média de R$ 6,65, após R$ 6,66 entre os dias 2 e 10.

Com uma redução de 5% programada a partir de 1º de novembro pela Petrobras às distribuidoras, o Gás Natural Veicular (GNV) foi observado, em média, a R$ 4,87, contra R$ 4,90 na semana anterior.

Já o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha, era encontrado a R$ 110,62, entre 2 e 10 de outubro, em queda de 1,3% após duas reduções anunciadas pela Petrobras. Já no novo boletim da ANP, subiu para R$ 110,99, ou seja, um aumento de 0,37%.

E o etanol teve a segunda semana seguida de alta, após 22 de queda, indo de R$ 3,39 para R$ 3,46.

CNN

Comentários
×