Preço da gasolina cai cerca de 24% na cidade

Petrobras anuncia nova redução; governador também já havia determinado diminuição do ICMS sobre o etanol

 

Da Redação

Hoje, mais uma redução no preço da gasolina entra em vigor. No anúncio, divulgado ontem, a Petrobras anunciou que o valor médio de venda de gasolina para as distribuidoras passará de R$ 4,06 para R$ 3,86 por litro, uma redução de R$ 0,20 por litro.

Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina e 27% de etanol anidro para a composição comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no custo ao consumidor passará de R$ 2,96, em média, para R$ 2,81 a cada litro vendido na bomba.

— Essa redução acompanha a evolução dos preços internacionais de referência, que se estabilizaram em patamar inferior para a gasolina, e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio — acrescentou a estatal.

A redução do preço da gasolina é a primeira desde 15 de dezembro do ano passado. Naquele dia, a Petrobras diminuiu o valor em R$ 0,10: de R$ 3,19 para R$ 3,09. Desde então, todos os reajustes aumentaram o custo do combustível.

Não houve alteração no valor do diesel, cujo litro permanece em R$ 5,61 desde 18 de junho.

Divinópolis

Depois da redução do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) sobre os preços da gasolina e do etanol, os valores estão em queda. Em Divinópolis, nas quatro últimas semanas, de acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o custo médio da gasolina, que era de R$ 7,47, caiu para R$ 5,64. O da gasolina aditivada reduziu de R$ 7,74 para R$ 5,77 e do etanol, de R$ 5,00 para R$ 4,44. Respectivamente, as quedas foram de 24%, 25% e 11%. 

Já o preço do diesel S10 também teve uma pequena diminuição, de 1,7%, com o valor médio caindo de R$ 7,59 para R$ 7,46.

Preços

Na pesquisa da última semana, feita também pela ANP em dez postos de gasolina, o preço mais baixo ficou em R$ 5,56 e o mais alto em R$ 5,77. O etanol registrou o menor custo em R$ 4,36 e o maior em R$ 4,55. Já o diesel S 10 registrou o menor valor em R$ 7,39 e o maior em R$ 7,64.

— Seguimos a estratégia de preços da distribuidora. Como o mercado é livre, a concorrência é muito forte, ainda mais numa cidade do porte de Divinópolis. A tendência, com a entressafra da cana, é que os preços continuem em queda — avalia o gerente de um ponto de distribuição de combustível, Fabricio Alexandre Fontes.

Para o economista Leandro Maia, com as reduções dos impostos, a tendência é de aumento do consumo.

— Com uma queda significativa de preços, a tendência é que as vendas aumentem. E, pelo visto, os preços devem continuar em baixa por alguns meses, principalmente pela entressafra da cana.  A expectativa é que haja uma recuperação da produtividade e um incremento da oferta de cana, proporcionando maior oferta de etanol — conclui. 

 

Redução

A semana começou com a notícia, anunciada na manhã de segunda-feira, pelo governador Romeu Zema (Novo), por meio de suas redes sociais: haverá redução, de 16% para 9% do ICMS sobre o valor do etanol, reajuste já em vigor.

 

— Além de seguir aliviando o bolso dos mineiros, a redução do imposto manterá a competitividade do biocombustível, importante gerador de empregos em nosso estado — argumentou o governador Romeu Zema.

Com a redução, o custo do etanol pode cair R$ 0,35 em Minas Gerais, calcula o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro). Em nota, a entidade ressaltou que é importante que as usinas produtoras de etanol entendam o bom momento vivido pela tributação dos combustíveis em Minas e tenham a sensibilidade de perceber a excelente oportunidade de tornar o combustível de cana mais competitivo na bomba, frente à redução do ICMS da gasolina, anunciada no início do mês.

A redução total depende da forma como as distribuidoras repassarão a queda para os postos que, por sua vez, transmitem a redução para o preço final da bomba. Na gasolina, as companhias realizaram o repasse de forma gradativa e o desconto completo, impostos federais zerados e queda de 18% do ICMS,  já foi repassado.

Comentários
×