Preço da gasolina cai 9% na cidade

Governo anuncia redução no valor do cálculo do imposto sobre o etanol

Jorge Guimarães 

Agosto começou com boas notícias para os mineiros. No primeiro dia útil do mês, o governador Romeu Zema (Novo) anunciou que o valor do cálculo do imposto sobre o etanol em Minas vai ser reduzido em R$ 0,46. A medida diminui ainda mais o preço nos postos, para melhorar a competividade do biocombustível no mercado mineiro. Vale ressaltar que de acordo com a Lei 10.203/01, a gasolina aditivada, assim como a comum, deve receber entre 20% e 24% de álcool etílico anidro combustível.  É esperado num primeiro momento, uma pequena queda nos preços, valendo para os dois combustíveis, tanto a gasolina quanto o etanol.   O que pode acontecer nas próximas semanas.

Preços

Em Divinópolis, levantamento feito na última semana, pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) em dez postos de combustíveis, apontou que o preço médio da gasolina é comercializado a R$ 5,45, o mais barato a R$ 5,37 e o mais caro em R$ 5,69. Já o preço médio do etanol ficou em R$ 4,21, o mais baixo em R$ 3,99 e o mais alto em R$ 4,39.  A mesma pesquisa revela que nas últimas quatro semanas o preço da gasolina na cidade, caiu cerca de 9,6% e do etanol 7,2%. E uma ótima notícia para quem possui carros flex, a mesma pesquisa confirmou que no atual momento abastecer com etanol é mais vantajoso em relação a gasolina. 

 

Pesquisa

 

A reportagem também realizou um levantamento em cerca de sete pontos de venda e constatou que, já em alguns deles, já se pode encontrar etanol ao preço de R$ 3,15 e gasolina a R$ 5,15. No entanto, o preço médio da gasolina está em R$ 5,33 e do etanol em R$ 4.

— A pesquisa sempre foi a grande arma do consumidor e, como o mercado é livre, a oscilação de preços depende das estratégias de cada distribuidora. Mas o bom é que os os dois combustíveis estão em queda e devem ficar assim até o início do ano — avaliou o gerente Fabricio Alexandre Fontes.

Para a alegria do representante comercial Paulo César Gontijo, a notícia do início da semana veio em boa hora.

 

— Os preços estão caindo nas bombas, coisa que não acontecia antes. Pelo menos vamos ter preços baixos até o fim do ano e graças também às manobras políticas. Mas pelo menos o segundo semestre vai tirar o atraso das altas do primeiro — disse o profissional. 

Comentários
×