Política

Política

Os vereadores aprovaram, na tarde de ontem, a transferência do terreno do hospital regional em Divinópolis para o Estado. Agora, restando apenas a sanção do prefeito Gleidson Azevedo (PSC), o Município conclui suas obrigações com a obra. Da Ordem de Serviço até a conclusão da obra, toda a responsabilidade passa a ser do governo estadual. Uma unidade que, desde 2016, está totalmente paralisada e poderia ter prestado grande assistência à região no combate à pandemia caso estivesse em funcionamento - o que não isenta os governantes da negligência em adotar as medidas preventivas.

Politicagem

Com a proximidade da eleição, os vereadores indicam para a possibilidade de o governador Romeu Zema (Novo) usar a retomada da obra na sua campanha de reeleição. Alguns questionam, inclusive, se Zema teria sido capaz de promover o avanço na construção dos hospitais regionais paralisados no estado, promessa que fez quando era candidato, não fosse a indenização bilionária paga pela mineradora Vale em decorrência da tragédia em Brumadinho. Lohanna França (Cidadania), por exemplo, citou que o Estado não pode depender do dinheiro de tragédias para financiar políticas públicas. 

Novas discussões

A reunião de ontem foi marcada por discussões. O vereador Israel da Farmácia (PSD) apontou para insegurança política do projeto, que não determina data de entrega ou o estado (com ou sem equipamentos) que a unidade será entregue. Vários vereadores concordaram com o colega, classificando a proposta como rasa, sem explicações complexas e claras, mas ressaltaram a importância de aprovar a transferência para jogar a responsabilidade da conclusão para o governador. Flávio Marra (Patriota) inclusive chegou a questionar qual seria a próxima desculpa de Zema para não concluir o hospital. Outro ponto de discussão foi a falta de articulação entre Executivo e Legislativo, para que vereadores da Casa acompanhassem os encontros com o governo estadual sobre o tema para esclarecimentos. Cobraram, ainda, que o Município deveria ter discutido melhor com os vereadores o projeto. Israel queria um pedido de vistas até a próxima reunião, mas teve sua solicitação rejeitada pela maioria. Ao fim do debate, ele chamou o voto dos colegas de hipocrisia. Antes, Israel disse que os parlamentares estavam cegos ao fecharem os olhos para a insegurança jurídica. 

Síndrome de Down

No próximo dia 21, Dia Mundial da Síndrome de Down, acontece o 1º Seminário de Deficiência e Transtornos Intelectuais de Divinópolis e do Centro-Oeste Mineiro, no auditório verde da Faculdade Pitágoras, a partir das 19h. O psicólogo Welligton Beirigo abordará o tema "A família no contexto da Síndrome de Down". A educadora física Marielle Freitas trata sobre a "Aplicação ABA na T21". A advogada Wandreiane Raphaela tratará sobre "Direitos das Pessoas com Deficiência e Atualizações Recentes na Legislação". A participação especial será do coreógrafo Marcello Azevedo. O valor para entrada é de R$ 10. Será emitido certificado de horas extracurriculares. As vagas são limitadas. Mais informações através do (37) 9.8838-9019 (Vivian) ou (37) 9.9911-0612 (Christiane). O público-alvo são acadêmicos de psicologia, pedagogia, direito, serviço social, professores, diretores escolares, assistentes educacionais, psicólogos, psicopedagogos e demais profissionais interessados. O evento é uma realização da Associação Amiga do Autismo e Demais Deficiência de Divinópolis e Centro-Oeste Mineiro (Amiga), sob o lema de "A vida não se mede em cromossomos, mas em como somos".

Coment√°rios
×