Policlínica tem sérios problemas estruturais

Paredes com mofos e danos no teto são exemplos citados na denúncia de Lohanna França; Prefeitura diz já ter plano em vista

Bruno Bueno

Paredes mofadas, danos na estrutura do teto, buracos nos corredores. Esses são alguns problemas estruturais denunciados ao Agora por pacientes que buscam atendimento na Policlínica, localizada na região Central. Porém, a vereadora Lohanna França (CDN) já havia usado a Tribuna Livre para denunciar a situação há cerca de 20 dias. A reportagem teve acesso a imagens da situação na tarde de ontem. Conforme os pacientes, a situação é crítica e precisa de reparos urgentes. Já  a vereadora, por  meio  de sua assessoria, disse que os problemas se agravam principalmente durante o período chuvoso.

— Em visita à unidade de saúde, verifiquei enormes mofos nas paredes das salas de atendimento e danos no teto, no qual, para não desabar com o volume de água que fica presa abaixo do telhado, foi necessário fazer furos e deixar a água passar, molhando a sala de testagem, corredores e a sala de espera, que, segundo ela, se torna uma piscina com cachoeira durante as chuvas — afirmou.

A informação foi confirmada por uma paciente que preferiu não se identificar.

— Nesse dia que  estive lá, a sensação era de que o teto iria desabar a qualquer momento — ratificou.

 

Outros problemas

A vereadora também enfatizou outros problemas encontrados na unidade. Segundo ela, reformas urgentes e pontuais devem ser feitas no local para impedir uma ocorrência mais grave

— Além disso, o teto do corredor está com o seu centro afundado devido ao peso da água que fica parada no local com rachaduras, mostrando possível comprometimento da estrutura. O problema se dá no telhado, que precisa ser trocado com urgência, além da reforma do gesso e das paredes da sala, evitando acidentes graves com funcionários e/ou pacientes, além de um comprometimento maior de rede elétrica e ferragens — esclareceu.

Para justificar a necessidade das melhorias, a vereadora ressaltou o importante trabalho realizado pela Policlínica, principalmente na testagem de pacientes com HIV, sífilis e hepatites.

— O Serviço de Assistência Especializada (SAE) atualmente atende o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), que, além de oferecer exames de testagem de HIV, sífilis e hepatites B e C gratuitamente para a população de  55 municípios, oferece consultas com infectologistas, acompanhamento psicológico, assistência social e dispensação de medicamentos, e possui grandes problemas estruturais no interior de sua unidade — disse. 

 

Ofício

Informações do gabinete de Lohanna França revelam ainda que um ofício foi enviado para as secretarias responsáveis a fim de resolver o problema. 

— Encaminhei um ofício na data de hoje para as secretarias de Operações e Serviços Urbanos e de Saúde com todas as imagens e vídeos retirados no local solicitando essa reforma com urgência — ressaltou.

 

Mais denúncias

Outros pacientes, que também preferem não se identificar, afirmaram que os servidores do local furaram buracos para impedir a queda do teto. 

— O teto não está caindo porque os servidores furaram para a água passar e não sobrecarregar o gesso, mas no corredor o meio do teto está bem mais baixo. (...) A sala de espera tem um buraco enorme. Quando chove não pode ficar paciente esperando, porque alaga tudo. É um buraco enorme. O pessoal falou que alaga muito —  disse.

 

Segundo eles, algumas plantas já começaram a crescer nos tetos desgastados.

— O banheiro também não tem janela. (...) Para você ter uma ideia dos problemas, uma samambaia começou a nascer no teto desgastado e os servidores tiveram que tirar — finalizou.

 

Prefeitura

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura para ouvir o posicionamento do Executivo sobre a situação. A assessoria de comunicação disse que não procede a informação que o teto está prestes a cair. No entanto, admite que há um problema que precisa ser solucionado e que já conta com um plano de execução para ser feito na unidade de saúde.

 

Comentários
×