Polícia Rodoviária cobra melhorias em trecho da BR-494 marcado por acidentes

Terceira faixa é o principal pedido; imprudência é tida como principal causa das ocorrências

Bruno Bueno

O km 36 da BR-494 foi palco de mais um acidente fatal nesta semana, em Divinópolis. Uma jovem de 22 anos morreu ao colidir com um caminhão na tarde da última quarta-feira, 26. Há pouco mais de dois meses, no dia 23 de novembro, outro motociclista, de 29 anos, também morreu após colidir com um carro no mesmo trecho, o garupa continua internado em estado delicado. 

Preocupada com o grande índice de acidentes fatais no trecho, a Polícia Rodoviária (PMRv) protocolou, na tarde de ontem, um ofício ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), sediado em Bom Despacho, solicitando melhorias no setor.

Solicitação

De acordo com o sargento Vitor Oliveira, um dos policiais que trabalhou nos acidentes fatais, a instalação de uma terceira faixa é a principal reivindicação.

— Fizemos um ofício e encaminhamos ao órgão federal que cuida da via. Solicitamos a melhoria no trevo da saída da avenida Paraná e, se possível, uma terceira faixa no trecho de aclive para os veículos pesados, a fim de reduzir as filas e, por consequência, o número de ultrapassagens proibidas — ressaltou.

Mesmo com a instalação, o policial reforça que a principal causa dos acidentes está relacionada à imprudência de alguns condutores.

— Boa parte dos acidentes estão ligados à conduta do agente. Claro que também temos problemas estruturais, como a ausência de uma terceira faixa, ocasionando muitas filas e ultrapassagens em locais proibidos. (...) Para prevenir, é necessário a conscientização, especialmente dirigir com cautela, respeitando a legislação de trânsito — relatou.

Exemplos

Os casos de imprudência foram exemplificados pelo militar. Segundo ele, ambos acidentes com vítimas fatais ocorridos na via poderiam ter sido evitados.

— Esse trecho apresenta alguns problemas relacionados à imprudência, especialmente de veículos transitando na contramão, que foi o caso dos últimos dois acidentes graves. Nesta semana, a vítima invadiu a contramão. Em novembro, foi um terceiro condutor que se deslocou para a outra faixa e provocou a morte da outra vítima — disse.

O policial elencou outros problemas da via que provocam acidentes.

— Temos mais problemas, como animais na pista que vêm causando acidentes e transtornos, além de alguns problemas estruturais. Nesse trecho de dois quilômetros de aclive, os veículos pesados têm velocidade reduzida e ocasionam filas, consequentemente ultrapassagens em locais proibidos. Isso fatalmente traz acidentes — afirmou.

Embriaguez

Os casos de embriaguez também são comuns na rodovia. De acordo com o policial, quatro pessoas foram presas em uma operação realizada recentemente.

— No fim de semana passado, na parte da manhã, nós realizamos a prisão de quatro condutores que estavam embriagados, além da apreensão de 16 CNHs e medidas administrativas para outros três condutores. A operação permanece, todos os dias, no entorno de Divinópolis — enfatizou.

Ele reitera que a PMRv tem realizado operações para identificar os infratores.

— Os casos de embriaguez são comuns na rodovia. Nós temos intensificado as operações da Lei Seca, obtendo muitos resultados na prevenção dos acidentes, cada condutor embriagado é um risco potencial a menos de acidente — esclareceu.

Acidente

O acidente registrado na tarde da última quarta tirou a vida de uma jovem de 22 anos. Segundo informações do Samu, a ocorrência foi registrada por volta de 16h53. 

— Ela estava em uma moto quando colidiu com um caminhão. Quando a equipe de resgate chegou ao local, a vítima já estava sem vida. O Corpo de Bombeiros foi acionado para controlar o vazamento de combustível e o risco de incêndio da moto — informou em nota.

O último acidente fatal, registrado em novembro, também foi marcado por vazamento de combustível.  Enquanto os policiais atendiam a primeira ocorrência, que provocou a morte do motociclista, duas carretas colidiram e pegaram fogo, causando uma forte explosão. O corpo do motociclista que ainda estava no chão foi carbonizado. 

Comentários
×