Polícia investiga possíveis causas de acidentes fatais

Três pessoas morreram, incluindo um investigador da PC, em ocorrências registradas na MG-050; cortejo e emoção marcam despedida do servidor público

 

 

Bruno Bueno

Keith Hellen Silva. O nome se tornou conhecido em grande parte de Divinópolis neste fim de semana. Infelizmente, por um motivo fatal. A mulher de 27 anos, que trabalhava como cabeleireira, morreu em um grave acidente de carro no km 118 da MG-050, próximo ao bairro Icaraí, na madrugada do último domingo.

Filipe Dias Corgozinho teve o mesmo destino. O investigador da Polícia Civil, de apenas 36 anos, também perdeu a vida em um grave acidente de carro. Coincidentemente, a batida aconteceu poucas horas depois da morte de Keith. O local também é próximo: km 108 da mesma MG-050. O trecho pertence a Carmo do Cajuru. Seu amigo, Caíque C.N., de 26 anos, que estava no banco do passageiro, também morreu na hora. 

Familiares das vítimas buscam saber o que aconteceu. Especulações sobre os casos tomam conta das redes sociais. Em resposta ao Agora, a Polícia Civil informou que está investigando as causas dos acidentes.

 

Álcool

O álcool pode ser uma das causas do acidente que vitimou Keith Hellen Silva aconteceu por volta das 1h. De acordo com informações da Polícia Rodoviária, a colisão, registrada no km 118 da MG-050, próximo ao bairro Icaraí, envolveu um Honda Civic e uma S10. A vítima era passageira da caminhonete. 

O motorista da S10, onde Keith estava, fez o teste do bafômetro no local. Com o valor de 0,43mg/l, ele foi preso por dirigir embriagado e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil de Divinópolis. O motorista do Honda Civic também fez o teste e foi liberado.

— Após a perícia realizar seus trabalhos, o local foi liberado e o corpo para o serviço municipal de luto — informou a Polícia Rodoviária em nota.

Segundo o Samu, que realizou o atendimento de Keith no local, socorristas tentaram reanimar a vítima no local, mas sem sucesso.

— Ao chegarem ao local, as equipes realizaram o atendimento de uma mulher. Estava inconsciente, em parada cardiorrespiratória (PCR). As equipes se dedicaram em manobras de ressuscitação, mas ela evoluiu para óbito — informou o Samu em nota.

 

Perda da direção

O acidente que vitimou o investigador da Polícia Civil aconteceu horas depois. Segundo os primeiros relatos da Polícia Rodoviária, Filipe Dias perdeu o controle da direção, rodou na pista, invadiu a contramão e colidiu com outro veículo. O policial dirigia um VW Gol e atingiu uma caminhonete Toyota Hilux. Ele e seu amigo foram projetados para fora do veículo. Ambos morreram na hora.

Os três ocupantes da caminhonete ficaram feridos. Uma mulher de 52 anos queixou-se de dor abdominal, um jovem de 18 anos de dor na perna e o outro jovem, este de 23 anos, de dor no tórax. Eles foram encaminhados para o Complexo de Saúde São João de Deus.

Em nota divulgada ao Agora, a Polícia Civil confirmou que instaurou um inquérito para investigar ambos os casos.

— A PCMG instaurou procedimento investigativo para apurar as causas do acidente e identificar eventuais responsáveis — informou.

 

Repercussão

A despedida de Filipe Dias foi marcada por muita emoção. Um cortejo com viaturas passou por diversas ruas da cidade na manhã de ontem em direção ao Parque da Serra, onde o investigador foi enterrado. 

O comando da Polícia Civil divulgou na tarde de domingo uma nota de pesar lamentando a morte do policial. O texto é assinado pelo chefe da PC no Estado, Joaquim Francisco Neto e Silva.

— É com grande pesar que a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) comunica o falecimento nesta manhã 08-05 do investigador de polícia Felipe Dias Corgozinho, lotado na Delegacia de Polícia Civil em Divinópolis. Aos familiares, colegas e amigos da Polícia Civil, os nossos mais sinceros sentimentos pela irreparável perda — diz a nota.

O presidente da Câmara Municipal de Divinópolis, Eduardo Print Júnior (PSDB), também emitiu uma nota de pesar sobre o caso.

— Os vereadores de Divinópolis se solidarizam com os familiares e amigos, em especial, aos demais inspetores, delegados e colaboradores da Polícia Civil em Divinópolis. O presidente  estabeleceu luto oficial Legislativo de três dias e bandeiras a meio mastro — diz parte do documento.

“A PCMG instaurou procedimento investigativo para apurar as causas do acidente e identificar eventuais responsáveis", informou a assessoria de comunicação da PCMG.

Comentários
×