Polícia Civil apreende 200 toneladas de sabão em pó falsificado em 3 cidades

Dessa vez, Divinópolis, Itaúna e São Gonçalo do Pará é que foram os alvos; é quarta ação em seis meses na região

 

Da Redação

As ocorrências envolvendo sabão em pó falsificado se tornaram recorrentes na região. A Polícia Civil (PC) apreendeu ontem, mais uma carga, dessa vez em três cidades diferentes: Divinópolis, Itaúna e São Gonçalo do Pará.   Foram apreendidas 200 toneladas do produto, durante operação deflagrada  pela PC.  

Seis carretas, dois caminhões, três empilhadeiras, três esteiras de produção e milhares de caixas de papelão falsificadas para as embalagens também foram encontradas pelos policiais.

Uma coletiva de imprensa ocorre hoje, às 10h, na sede do 7º Departamento de Polícia Civil em Divinópolis,  onde mais informações serão repassadas pelos delegados Flávio Tadeu Destro, Weslley Amaral de Castro e João Marcos do Amaral Ferreira.

Não é a primeira vez que uma ação policial apreende grande quantidades de sabão em pó falsificado na região. Em 2021, três ações como essa, realizadas em Nova Serrana, apreenderam toneladas de produtos, recolhidas pelos policiais.

 

Primeira 

No dia 15 de junho do ano passado, a PC de Nova Serrana apreendeu mais de 50 toneladas de sabão em pó falsificado, além de material para selar as caixas, documentos e notas fiscais, nos bairros Eldorado e São Sebastião. 

Os produtos eram comercializados com a embalagem tradicional do produto, da marca OMO. Uma ação foi montada após denúncia anônima e os policiais conseguiram identificar dois galpões onde eram fabricados os produtos e armazenados os materiais utilizados. 

 

Segunda 

Cinquenta dias após a primeira apreensão, no dia 4 de agosto, a Polícia Militar (PM) de Nova Serrana encontrou mais um galpão, com nove toneladas de sabão em pó falsificado, no bairro Industrial. 

Além do produto e aproximadamente 18 mil embalagens e 900 caixas da marca, os policiais também encontraram esteiras para embalar, empilhadeiras e balanças. 

Segundo os militares, cerca de 20 pessoas trabalhavam no galpão. Dessa vez, um homem de 49 anos, que se identificou como gerente de produção, foi detido e levado até a delegacia da cidade. 

 

Terceira 

Pouco tempo depois, em um intervalo de 19 dias, a Polícia Civil apreendeu mais 25 toneladas de sabão em pó falsificado da mesma marca. Embalagens, documentos, material para selar as caixas e empilhadeiras também foram encontrados pelos policiais. 

Além das embalagens de 1,6 quilos, apreendidas nas duas últimas ações policiais, produtos menores, de 800 gramas, foram encontrados.

Segundo os delegados encarregados pelo caso na época, uma mulher, de 35 anos, suspeita de ser a responsável pelo espaço, foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil de Nova Serrana para prestar depoimento, mas foi liberada até o fim das investigações.

 

Nota

Em nota à imprensa, na ocorrência de agosto de 2021, a empresa Unilever, que fabrica o sabão em pó original da marca, enviou orientações que podem ajudar o consumidor a identificar quando o produto é falsificado:

 

  • A qualidade de cor, brilho e impressão das embalagens, que deve sempre trazer as informações de forma legível;
  • A data de fabricação deve estar gravada a laser de forma destacada e não como parte dos textos da embalagem;
  • Cada embalagem possui um número único de lote impresso, que não pode se repetir em outras embalagens;
  • Alterações na cor, textura e perfume do produto em comparação ao que consumidor está acostumado a usar.

 

Caso haja a suspeita de que o produto é falsificado, é possível entrar em contato com a empresa pelo site www.unilever.com.br/contact/ ou pelo telefone 0800-707-9977.

 

Comentários
×